Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

'Quem criou o problema não vão resolvê-lo', diz Marina sobre Centrão e Alckmin

24/07/18 às 12:55 - Escrito por Estadão Conteúdo
siga o Tarobá News no Google News!

A pré-candidata à Presidência da República nas eleições 2018 pela Rede Sustentabilidade, Marina Silva, aproveitou sua passagem pelo interior de São Paulo para criticar o Centrão e o presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin, nesta terça-feira, 24. A ex-ministra relacionou o tucano e o bloco de partidos do DEM, PP, PR, PRB, Solidariedade, ao presidente Michel Temer e à crise.

"Os que criaram o problema não vão resolver o problema", disse à Rádio São Carlos, referindo-se ao candidato do PSDB e ao Centrão. Marina participará de cinco entrevistas a rádios na cidade paulista e, mais tarde, de uma agenda com a população. Logo na primeira entrevista, ela relacionou Alckmin a Temer, considerando que os dois têm o apoio do Centrão.

Na segunda-feira, 23, em Piracicaba, a ex-ministra também atacou os adversários que terão a maior parte do tempo de rádio e TV na propaganda política eleitoral - "o condomínio do Alckmin é agora o condomínio que era da Dilma em 2014", disse.

Leia mais:

Imagem de destaque
SAIBA MAIS

TSE rejeita recurso de Cloara Pinheiro; defesa diz que decisão não afeta mandato

Imagem de destaque
ACUSADO DE XENOFOBIA

Câmara de Apucarana descarta cassação de Vereador

Imagem de destaque
ENTENDA

STF anula mais uma condenação de Moro contra André Vargas na Lava Jato

Imagem de destaque
ENTENDA

Terminal Rodoviário é novo ponto de votação para as eleições de 2024

A presidenciável não poupou também Jair Bolsonaro (PSL), único adversário na disputa que sai na sua frente nas pesquisas de intenção de voto e que lidera as enquetes. "Discordo do Bolsonaro, não vamos resolver a segurança pública distribuindo armas para a população". Ela exemplificou citando que hoje muito policial tem a casa invadida para que armas sejam roubadas. "Então você imagina um cidadão comum achando que vai se defender com a liberação do porte de arma".

Apesar das cutucadas nos adversários, a pré-candidata garante que não quer guerra na campanha eleitoral e que vai combater ideias e não pessoas. "Não vou agredir ninguém", afirma.

Marina falou ainda que entende a descrença do povo hoje com a política, mas que anular o voto não é a melhor alternativa. "A gente não pode entregar para os outros o que tem o direito de fazer, o cidadão pode demitir aqueles que iludiram o povo". Para completar em seguida: "Estou persistente, sem persistência a gente não vai mudar".

Marina se disse contrária ao aborto e defende plebiscito sobre o tema. "Sou contra, defendo a vida", disse Marina ao ser questionada por religiosos sobre o aborto. No entanto, ela lembrou que alguns casos, como quando há risco para a gestante, essa prática já é permitida. "Se for mudar além do que existe na lei, defendo que seja feito um plebiscito", justificou.

A passagem de Marina por São Carlos deve ser encerrada à noite com uma palestra no Centro do Professorado Paulista (CPP). A ex-senadora também foi ministra do Meio Ambiente no governo Lula e já disputou a Presidência da República duas vezes, nos anos de 2010 e 2014, terminando ambas as eleições na terceira colocação.

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá