Linha 4

Publicidade

Carro é atingido por cancela do pedágio e concessionária se recusa a pagar o prejuízo

Murilo Pajolla

O pedágio de Jataizinho, o mais caro do Paraná com a tarifa de R$ 23,70, ficou ainda mais “salgado” para uma advogada moradora de Londrina.

No dia 18 de novembro Cynthia Martins Kubota passava pela praça da Econorte, quando a primeira das duas cancelas, que fica antes da cabine de cobrança, caiu sobre o seu carro.

“Eu estava atrás de um caminhão e, conforme ele andou, eu andei também. Parece que houve um problema no sensor (da cancela)”, relatou a advogada.

Após o incidente, ainda no local, ela conversou com um atendente da concessionária e foi orientada a preencher um formulário e informar à empresa o valor do conserto do veículo.

Ela fez três orçamentos em oficinas de Londrina e, apesar de o dano ter ocorrido apenas na pintura do veículo, o custo é significativo: os valores variaram de R$ 430 até R$ 920.

“Eu não estava de forma nenhum tentando me evadir do pagamento, sempre passo pelo trecho e pago normalmente”, desabafou.

Contando com a Econorte para custear o prejuízo, ela se surpreendeu com a resposta que chegou pelo e-mail: “O departamento responsável realizou a análise do pedido e solicitou informar que concluiu pelo indeferimento”.

Revoltada, ela afirmou que pretende fazer um boletim de ocorrência e procurar o Ministério Público (MP).

“Fiquei indignada porque acho que isso é um descaso deles. E tinha um carro ao lado que tinha acontecido a mesma coisa no mesmo horário. Eles estão com problema lá nesse pedágio e não querem fazer nada. E a gente que tem que arcar com o prejuízo”, lamentou.

 A reportagem procurou a Econorte, mas assessoria de imprensa informou que a empresa não vai se manifestar sobre esse caso.

COMENTÁRIOS

Publicidade