Cinema e geografia são debatidos no Museu Paranaense

Redação Tarobá News
Turismo e viagem | Publicado em 05/09/2019 às 10:42

O Museu Paranaense promove na próxima terça-feira (10), às 19 horas, a mesa-redonda “Narrativas transversais: diálogos entre ambientalismo, cinema e geografia”, que vai abordar aspectos referentes à vida e à contribuição científica do geólogo e ambientalista Reinhard Maack.

Participam o pesquisador Henrique Paulo Schmidlin, conhecido como Vitamina, o artista interdisciplinar Rayman Virmond e a arqueóloga do Paranaense, Claudia Inês Parellada, que fará a mediação. As inscrições são gratuitas e podem até 9 de setembro pelo link http://bit.ly/narrativas_transversais.

Além do trabalho de Maack, serão apresentados também a pesquisa e o processo criativo de projetos que envolvem geografia, cinema e paisagem, realizados por Virmond, com exibição do curta documental/experimental sobre a Serra do Mar chamado “Topofilia”.

PESQUISADORES - Considerado uma referência na questão ambiental em Curitiba, Henrique Paulo Schmidlin é montanhista desde a adolescência e apaixonado pelo Paraná. Foi o primeiro a documentar a escalada de algumas montanhas e pioneiro em desenvolver trilhas e mapas de acesso. Criou novos modelos de materiais e equipamentos para o uso em alta montanha. Atuou como advogado na área jurídica da Secretaria de Estado da Educação do Paraná, ITC, Surehma e por cerca de 15 anos foi curador do Patrimônio Natural do Paraná.

Rayman Virmond trabalha como filmmaker e artista interdisciplinar, fazendo documentários, projetos fotográficos, vídeos experimentais e videoclipes. Sua pesquisa relaciona cinema e paisagem, utilizando como base a geografia, as ciências sociais e os estudos fílmicos. É mestrando em Cinema pela Universidade de Beira Interior, Covilhã, Portugal, e formado em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Arqueóloga com doutorado na Universidade de São Paulo USP, mestre em Antropologia Social e geóloga pela mesma instituição, Claudia Inês Parellada atua no Museu Paranaense desde 1984, sendo a pesquisadora responsável pelo Departamento de Arqueologia do museu desde 1990. Executou e vem coordenando diferentes projetos de pesquisa arqueológica e etnográfica, especialmente no Paraná e no Mato Grosso, com publicações de alcance nacional e internacional.

Ela também ministra cursos de extensão em universidades brasileiras e em comunidades tradicionais, orienta e supervisiona alunos de graduação e pós-graduação e, ainda, faz parte do corpo técnico de revisores de vários periódicos científicos.

REINHARD MAACK - Pioneiro na questão da preservação de áreas naturais, o geólogo e ambientalista Reinhard Maack foi colaborador do Paranaense em 1943 e foi ele que, dois anos antes, deu nome à montanha de maior altitude do Estado, na Serra do Mar: o Pico Paraná. Como pesquisador, defendeu a Teoria da Deriva Continental (Alfred Wegner), argumento de sua tese de doutorado e pela qual foi premiado pela Unesco. Em 1950, como membro de uma expedição da UFPR, foi um dos primeiros pesquisadores a estabelecer contato com os Xetá, no baixo curso da baía do Rio Ivaí.





Relacionados

Curitiba | 30-12-2019 19:55

Torre panorâmica oferece vista privilegiada de Curitiba

Torre panorâmica oferece vista privilegiada de Curitiba

Turismo e viagem | 27-12-2019 10:00

Águas das praias paranaenses se mantêm próprias para banho

Águas das praias paranaenses se mantêm próprias para banho

Foz do Iguaçu | 23-12-2019 08:30

Ano Novo: Foz é um dos destinos mais procurados

Ano Novo: Foz é um dos destinos mais procurados

Curitiba | 21-12-2019 11:05

Zoológico de Curitiba receberá R$ 7 milhões para obras de revitalização

Zoológico de Curitiba receberá R$ 7 milhões para obras de revitalização

PUBLICIDADE