Os animais de estimação precisam de cuidados especiais no verão

Redação Tarobá News
08/01/2020 09:40

A estação mais quente do ano começou no final de dezembro de 2019 e vai até dia 22 de março. Logo, se precisamos manter a atenção redobrada com a nossa saúde no verão, também não podemos esquecer a dos animais de estimação -- afinal, todos acabam sofrendo com o calor em excesso.

Por isso, existem cuidados especiais em relação a proteção, alimentação e hidratação que precisam ser ressaltados, para evitar que seu bem-estar seja comprometido. Para saber como manter seu pet saudável e protegido do calor, confira os cuidados necessários durante esse período mais quente.

Os gatos e cachorros não possuem glândulas sudoríparas -- que atuam na produção de suor e fazem com que a temperatura corporal se equilibre -- e costumam trocar o calor com o ambiente em que estão pela língua e por meio dos coxins (as almofadinhas das patas). Por isso, mantê-los hidratados é de extrema importância -- deixe sempre água fresca à sua disposição e estimule-os a beber com frequência.

Além disso, se entram em contato com um chão muito quente, podem receber um calor em excesso, prejudicando suas patas, sendo recomendado passeios em períodos com menos intensidade do Sol -- geralmente, antes das 10h e após às 18h.

Se o seu bichinho de estimação tiver o costume de ficar no quintal, é necessário que fique em um espaço mais arejado e com sombra. Já dentro de casa, fazer o uso de ventiladores e ar-condicionado para manter o ambiente mais fresco é o mais indicado.

Quanto à alimentação, evite deixar o pote de ração cheio o dia inteiro. Opte por alimentá-lo em horários e locais mais frescos. Isso vai evitar que a ração se deteriore e também afasta possíveis formigas e baratas da comida.

É no verão também que há mais incidência de pulgas e carrapatos, pois a temperatura fica mais amena e o ar tem maior índice de umidade. Por isso, o cuidado quanto a isso também precisa ser redobrado. Mantenha as vacinas em dia, aplique remédios antipulgas e diminua a frequência dos banhos, para que a medicação aja com mais tempo para a prevenção.

Além das pulgas e dos carrapatos, os bichinhos também sofrem com as picadas de insetos, causando incômodo e possíveis alergias. Sendo assim, fique atento às orelhas, abdome, ponta do nariz e ao redor dos olhos, onde não há pelagem e os insetos costumam picar.

PUBLICIDADE