Linha 4

Publicidade

Desafios do trabalhador: lidando com a instabilidade em tempos de pandemia

Redação Tarobá News

A pandemia da Covid-19 trouxe novos modelos e desafios para trabalhadores enfrentarem.  Diminuição de renda, mudanças nas rotinas e fechamento dos comércios agora fazem parte do dia a dia e, junto deles, transtornos psiquiátricos podem surgir. Dentro dessa dinâmica do inesperado, funcionários e patrões precisam encontrar ferramentas para manter a saúde mental e o bem-estar.

Além do aspecto financeiro, alterações na forma de trabalhar podem afetar a mente dos trabalhadores. Para a psiquiatra Regiane Kunz Bereza, a sensação de ser útil e de executar as tarefas ocupa papel fundamental na boa relação com o trabalho e consequentemente com a saúde mental.

“O trabalho não é só nossa forma de manter a subsistência, ele também é uma fonte de gratificação importante. Pensando no contexto da pandemia, a maioria das pessoas encararam restrições nas rotinas de trabalho e isso gera uma insegurança em relação ao futuro, aumentando nosso sentimento de ansiedade e nos dando a constante expectativa de que algo de ruim pode acontecer”, afirma a psiquiatra.


Transtornos

Entre os transtornos psiquiátricos mais relacionados ao trabalho, está a Síndrome de Burnout, que se relaciona ao esgotamento físico e mental, apresentando sintomas semelhantes aos da ansiedade e da depressão com a diferença de associar-se às situações de trabalho. A doutora explica que sensações físicas como coração acelerado, falta de ar e pressão no peito toda vez que se pensa no trabalho ou se inicia a jornada laboral, além de apreensão relacionada ao ambiente de trabalho são sinais de que a procura por ajuda profissional é necessária. Para evitar que a situação chegue nesse ponto, ela aponta a necessidade de saber intercalar os períodos de trabalho com outras atividades.

“Uma rotina mais equilibrada, com momentos para fazer atividades físicas ou almoçar com a família pode ajudar a recobrar as energias, principalmente do ponto de vista mental e emocional”, aconselha a médica.


Home Office

Ganhando destaque nos períodos de isolamento social, o modelo de trabalho home office parece uma alternativa confortável, contudo a pressão por produtividade e a mudança na rotina podem ser desafios que provocam grandes problemas.

"Conseguir isolar o ambiente doméstico para trabalhar de forma efetiva é bem difícil. Para quem está começando a prática do home office, essa estrutura precisa ser bem pensada para que isso não se torne um ritmo de trabalho constante ou a ausência completa dele”, comenta a doutora.

A chave para ser bem-sucedido no home office, segundo a psiquiatra, é conseguir delimitar rotinas e horários.

“Ter definido uma hora a partir da qual não se lida com a rotina doméstica para se dedicar ao trabalho e outra para sair das obrigações profissionais e “volta para casa” faz com que se consiga fazer as coisas de forma separada e organizada”, elucida a especialista.

Tendo em vista a quantidade de tempo que as pessoas passam trabalhando, é importante manter uma relação saudável com essa função, momentos de satisfação nesse ambiente, equilibram o estresse natural do dia a dia do trabalhador, permitindo um modelo sustentável de trabalho.

“Mesmo em meio a pressão e às diferentes adversidades do momento, é preciso criar uma rotina que permita conciliar trabalho e descanso. Mais do que nunca, a saúde mental está sendo fortemente abalada por diversos fatores  e quanto menor é a exposição ao estresse, por exemplo, menores são as chances de desenvolver algo grave”, conclui a psiquiatra.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade

Nós usamos cookies teste site para lhe proporcionar a melhor experiência possível lembrando de preferências em visitas anteriores. Clicando em "Aceitar" você aceita o uso de cookies e nossos Termos de Uso.