Seis dicas de viagens nacionais e internacionais para o feriado de Corpus Christi

Redação Tarobá News
14/06/2019 13:42
(Crédito: Divulgação | Morretes, Paraná)

Quatro dias de descanso podem significar, para os amantes das viagens, uma janela para conhecer um lugar novo; TAROBÁ NEWS te ajuda a escolher


Olímpia (SP)

Olímpia, cidade de 54 mil habitantes a 435 km de São Paulo, é um dos lugares mais acolhedores do Brasil. Não apenas pelos parques e pela relação com a natureza, mas o município também é reconhecido pela exploração do folclore que decidiu fazer: hoje intitulada a Capital Nacional do Folclore, a prefeitura organiza todos um anos um festival tradicional que reverencia as origens e costumes folclóricos brasileiros.

Um dos chamarizes do turismo local, o festival faz com que novos turistas nacionais conheçam alguns dos atrativos que leva multidões do estado para a cidade a cada fim de semana ou nos feriados prolongados. Um deles é o Museu de História e Folclore Maria Olímpia, com um acervo de mais de dez mil peças sobre mitos, lendas, histórias e literatura folclórica brasileiros, assim como instrumentos musicais, roupas e objetos rituais.

A grande atração do museu, porém, é uma locomotiva inglesa intacta do século XIX que ligava a cidade ao resto do país. O palacete Giosué Tonanni, sede do museu, também é um espetáculo à parte.

O roteiro arquitetônico ainda pode ser completado com uma passada pelas igrejas olimpianas: as duas matrizes  – Nossa Senhora Aparecida e de São João Batista  – são modernas e grandes, e a segunda ainda tem um vão livre considerado um dos maiores do país. No entanto, o que leva tanta gente à cidade são as suas águas termais, que variam de 26°C a 28°C e fizeram a fama de Olímpia  – e que podem ser usufruídas tanto no inverno quanto no verão.


São Francisco Xavier (SP)

Localizada na região mais alta da Serra da Mantiqueira, São Francisco Xavier (60 km de São José dos Campos e 150 km de São Paulo) é uma cidade famosa pelo seu romantismo. Aos casais que gostam de comidas típicas, bebidas e um clima intimista à noite, essa é a melhor dica para o Dia dos Namorados, por exemplo.

A praça da Igreja de São Francisco, no centro do município, costuma ser o ponto mais badalado após o pôr do sol: há música ao vivo e restaurantes com cartas de bons vinhos, assim como a Rua XV de Novembro e o Largo São Sebastião, onde estão alguns dos principais lugares para comer. Outra vantagem dos estabelecimentos é que quase todos aceitam a presença de cães e gatos – os chamados pet friendly.

Apesar dos atrativos noturnos, São Francisco Xavier também tem cachoeiras, trilhas e mirantes, além do comércio de frutas e legumes diretamente dos sítios dos agricultores que rodeiam a cidade. Algumas pousadas ficam localizadas exatamente ao pé das montanhas, o que aumenta o frio e, assim, a “necessidade” de ficar juntinho.


Morretes (PR)

Localizada na Serra do Mar entre Curitiba e Paranaguá, no Paraná, a pequena cidade de Morretes é famosa por seu prato típico: o barreado. Originalmente uma iguaria portuguesa, a receita foi modificada ao longo da história por italianos e por índios da região. Hoje, a cidade vive em torno do preparo do prato.

Por sua posição geográfica, Morretes é tão ou mais fria que Curitiba, uma das capitais mais frias do Brasil. O clima não passa dos 21°C, mas há registros de dias com até 8°C. O caminho é geralmente feito a partir da capital paranaense, onde há duas formas interessantes de chegar: por trem – uma viagem de cinco horas – ou por carro, pela Estrada da Graciosa, uma das mais bonitas do país.

Além do barreado e do charme da estação de trem e da estrada, Morretes é também um destino histórico: fundada em 1721, ela só se tornou cidade em 1841, quando já era rota dos aventureiros paulistas em busca de ouro, o que fez com que progredisse economicamente e abrigasse a construção de grandes casarões, até hoje intactos.


Cuiabá (MT)

A capital mato-grossense fica a 1h20 de avião de Londrina, e é uma bela opção para os amantes da natureza: além de ter uma cultura formada pelas interações entre povos tradicionais e imigrantes, a cidade é toda cercada por florestas, bosques e, claro, o Pantanal. A culinária local se destaca com a utilização de ingredientes da própria região, como a mandioca e o pequi. Mas Cuiabá ainda tem praças, monumentos, igrejas e museus que podem ser visitados pelos turistas mais apressados – que visitam-na apenas em um final de semana.                  

Ela ainda é porta de entrada para outras atrações turísticas da região, como a Chapada dos Guimarães e o Pantanal. O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, por exemplo, possui mirantes, trilhas, cachoeiras, grutas e cânions prontos para serem explorados pelos turistas ávidos pelos encantos da natureza.


Grutas del Palacio – Uruguai

Para quem está mais disposto a fazer viagens de média distância, vale a pena dar uma "passadinha" no Uruguai. Uma dica alternativa à Montevidéu, a capital repleta de brasileiros, é conhecer Grutas del Palacio. Localizado no departamento de Flores, o Geoparque Grutas del Palacio é um destino amplamente recomendável para quem busca experiências diferentes e está interessado em áreas temáticas como a geologia, a paleontologia e a arqueologia.

Entrar em antigas cavernas, contemplar as pinturas rupestres, percorrer belas paisagens de colinas e montanhas, desfrutar de grandes lagos e rios, e admirar uma falha geológica de mais de um quilômetro de extensão são só algumas das experiências que esse destino no centro-sul do Uruguai oferece.

O Geoparque Grutas del Palacio abarca uma superfície total de 3.641 quilômetros quadrados e está a apenas duas horas de Montevidéu. É um dos únicos geoparques existentes na América do Sul e, por isso, conta com o reconhecimento da UNESCO, braço da ONU para a cultura. Suas formações geológicas têm diferentes idades, que vão desde 2,5 milhões de anos até hoje. Entre os lugares mais visitados estão a Reserva Rodolfo Tálice, o Cerro de Ojosmin e o Mar de Piedras.


Santiago – Chile

"Lugares que sejam surpreendentes, relevantes e emocionantes". Assim a publicação estadunidense National Geographic escolhe anualmente os destinos que recomenda que seus leitores conheçam. Na lista de 21 lugares do ano passado, três estavam na América Latina, e um deles não é tão desconhecido dos brasileiros: Santiago, no Chile.

Depois de Buenos Aires, na Argentina, a cidade foi o destino internacional mais visitado pelos brasileiros no ano passado na agência de viagens ViajaNet, resultado também de passagens aéreas em promoção.

Para o marketing manager da empresa, Gustavo Mariotto, o interesse pelo Chile também faz parte de um momento de descoberta do continente pelos brasileiros. “A gente percebe que há algum tempo começou um desejo de conhecer os países que nos rodeiam e que, por consequência, se criaram novas rotas turísticas. O Chile vive esse processo que já foi experimentado pela Argentina e pelo Uruguai. A Colômbia deve ser o próximo”, revela.

"Existe algo fascinante para a gente na arte de rua de Santiago. Emociona de forma especial quando a arte se converte em uma forma de revitalização urbana, como descobrimos em vários bairros da cidade", explicou George Stone à BBC sobre a escolha da capital chilena.

O bairro de Lastarria é um dos exemplos: até algum tempo atrás, era apenas uma vizinhança de casas, mas se transformou em uma região de hotéis, bares, restaurantes e centros culturais por meio de projetos do governo e de agências de viagens. Um dos pontos mais vibrantes de Lastarria é o Museu Gabriela Mistral, onde as pessoas se encontram para tomar um café ou um vinho e, durante as noites, para desfrutar do ambiente externo ao edifício.


PUBLICIDADE