Otoplastia: indicada só para orelha de abano ou para qualquer tipo de correção?

Redação Tarobá News
13/02/2020 11:22
Foto: Ilustrativa

A otoplastia é a cirurgia plástica para correções estéticas na orelha, mas de tão associada ao problema ela também é conhecida como cirurgia para correção de orelhas em abano.

Apesar de a associação ser comum, a otoplastia é recomendada para correção de diferentes insatisfações com a orelha, como quando as orelhas são salientes, assimétricas ou desfiguradas.

O objetivo desse procedimento estético é melhorar a forma, a posição ou as proporções das orelhas. Saiba mais sobre a técnica e suas recomendações a seguir!

Quais as indicações da otoplastia?

O otoplastia pode ser usada para reverter defeitos na estrutura das orelhas que estejam presentes desde o nascimento, aqueles que se tornaram aparentes com o crescimento e também as insatisfações decorrentes de lesões.

Por meio da técnica, o cirurgião plástico consegue criar uma forma natural à orelha, para que ela seja proporcional e harmoniosa com o restante da face.

Entre as insatisfações mais comuns em relação à estética da orelha estão deformidades, assimetrias, tamanho (macrotia) e angulação, esta última associada a incomoda orelha de abano.

A otoplastia pode ser considerada uma cirurgia reparadora quando visa corrigir um defeito congênito ou adquirido, ainda que tenha também objetivos estéticos, como melhorar a forma, volume e posição.

No caso específico da orelha de abano a angulação da orelha pode ser em um grau mais ameno ou mais severo, mas o que determina a indicação da técnica é o incômodo do paciente com a condição.

Os casos de macrotia, nos quais a orelha é maior do que o normal, podem ser confundidos com a orelha de abano que é uma ocorrência mais comum. Por essa razão, a indicação cirúrgica deve sempre ser avaliada por um cirurgião plástico.

Um dos destaques da otoplastia é que ela pode ser realizada ainda na infância, entre os 5 e 7 anos, idade na qual a orelha já está 85% desenvolvida, sendo possível avaliar se há anormalidades no tamanho, ângulo ou formato.

A cirurgia da orelha ainda pode ser realizada na idade adulta para corrigir uma otoplastia prévia que não entregou os resultados almejados.

A indicação da otoplastia pode impactar diretamente a satisfação pessoal e bem-estar do paciente. Na infância a cirurgia pode evitar que criança seja exposta a bullying ou fobia social.

Como é realizado o procedimento?

Antes de decidir pelo procedimento é importante que o pacientes ou os pais, no caso de crianças, saibam como a técnica é realizada.

O primeiro passo é fazer uma consulta de avaliação com o cirurgião plástico que vai ouvir as insatisfações do paciente e avaliar o que deve ser alterado no procedimento. Antes de agendá-lo, no entanto, serão solicitados exames pré-operatórios.

Normalmente, em crianças utiliza-se a anestesia geral, enquanto nos adultos a técnica pode ser feita com anestesia local e sedação.

Devendo ser realizada em hospital, com leito de UTI disponível para emergências, a cirurgia é iniciada com uma incisão atrás da orelha, seguindo a dobra natural.

O especialista faz a remoção do excesso de pele, quando necessário, e faz o ligamento da cartilagem para que haja flexibilidade. Em casos nos quais se espera a diminuição do tamanho é removida parte da cartilagem. 

Para correção da orelha de abano é feita uma fixação na parte de trás da orelha com redução do ângulo de abertura. Podem ser usados pontos absorvíveis para deixar a orelha fixa nessa nova anatomia.

Como é o pós-operatório da cirurgia da orelha?

O paciente recebe alta hospitalar quando se recupera da anestesia, o que pode levar mais tempo em caso do uso da anestesia geral.

Logo após a técnica é colocada uma faixa compressora para ajudar na proteção do local operado e também manutenção da nova anatomia da orelha.

O pós-operatório da otoplastia é tranquilo e em cerca de uma semana o paciente pode retomar as atividades. O uso da faixa compressora é indicado por cerca de um mês, de forma que é indicado que o procedimento seja realizado nas férias escolares.

Os resultados da cirurgia da orelha podem ser vistos poucos dias após a intervenção, pois o inchaço pós-cirúrgico reduz cerca de 90% já nas duas primeiras semanas do pós-operatório. Após um mês os resultados observados já são próximos aos definitivos.

Quando o procedimento é realizado ainda na infância as chances de estabilização dos resultados são maiores, principalmente se foi realizada a correção da orelha de abano.

Portanto, pais e pacientes devem buscar todas as informações sobre a otoplastia antes de optar pelo procedimento, escolhendo um cirurgião plástico de confiança para condução do tratamento.

PUBLICIDADE