37% dos brasileiros convivem com dores. Veja como aliviar

Unimed Cascavel
03/06/2019 09:06

Nem massagem, nem remédio ou qualquer outra coisa que pudesse trazer algum alívio. Aquelas dores que parecem não ter solução atingem uma multidão de pessoas no mundo todo. De acordo com o Ministério da Saúde, 37% da população brasileira convive com esse desconforto, que pode ser sinal de problemas de saúde. “Geralmente, essas dores que não passam existem porque o paciente continua com os mesmos hábitos que causaram tal dor, e esse sintoma deve servir de alerta para a possibilidade de alguma doença”, explica o fisioterapeuta Edmilson Zabott Junior, do Centro de Atenção à Saúde Unimed Cascavel.

O especialista afirma que os quadros de dores ortopédicas tem total relação com a postura. “Sem alinhamento você não consegue reorganizar as funções do corpo. Por isso, não adianta eu olhar par um joelho desgastando, por exemplo, e não olhar para a postura dessa pessoa. Digamos que esse paciente tenha escoliose. De nada adianta eu apenas tratar o joelho, se ele continuar usando mais uma das pernas por conta do desvio de coluna , exemplifica.”

Na opinião do fisioterapeuta, a má postura também pode causar dores e problemas em órgãos. Ele explica que até o intestino preso pode ter influência de uma questão postural. “É como se fosse uma mangueira de água que se torce. Nesse caso, automaticamente a água para de passar ou diminui o fluxo. Algo semelhante pode acontecer com o intestino, mas, nessa situação, ainda existe a dor. A má postura também pode comprimir vasos sanguíneos, dificultando a circulação em órgãos e membros.”

Celular

Na rotina de consultório, o fisioterapeuta Edmilson Zabott Junior já atendeu uma longa lista de pacientes que sentiam dores cuja origem estava no tempo de uso do aparelho celular. Para cada cinco minutos olhando para baixo para digitar, é necessária até uma hora de atividade de relaxamento ou postural. “O problema não está no simples uso do telefone, mas no mau uso do aparelho. A área da ergonomia levou muito tempo para mostrar que havia a necessidade de se preocupar com a postura. Já o celular precisou de poucos anos para acabar com tudo isso.”

Dores x idade

Com o passar do tempo, as pessoas tendem a ter mais dores, devido à idade. Mas isso não é regra. “Tenho pacientes de 80 anos que vivem como se tivessem 30. Mas também vejo casos de pacientes de 30 anos que têm dores de gente de 80.”

Tratamentos

Independentemente da idade, mudança de hábitos sempre fazem bem. Mude os hábitos mais simples, a exemplo da perna que você mais costuma cruzar ou a mão que você mais usa para falar ao telefone. A longo prazo, esses vícios posturais podem causar dores. A prática de atividades físicas adequadas ao seu perfil é uma grande aliada.

 

 “Medicamentos, tratamentos convencionais como fisioterapia, pilates e programa posturais e de fortalecimento ajudam sempre. Mas é preciso um programa completo, desde padrões físicos até meios de vida e hábitos. Se o paciente só usar remédios, terá uma parcela de resultados. Se só fizer a fisioterapia, a mesma coisa”, diz o fisioterapeuta, que finaliza com um alerta: “Se você está sentido alguma dor, confie a sua saúde a profissionais capacitados. Aquele massagista que promete ‘colocar o seu corpo no lugar’ pode trazer mais malefícios do que benefícios para você.”