Cuidadores de idosos: o que é preciso saber sobre o Alzheimer

Unimed Cascavel
20/09/2019 06:33

Engajada na capacitação de profissionais para atuarem como cuidadores de idosos, a Unimed Cascavel ofereceu uma palestra gratuita a 75 pessoas sobre Alterações Comportamentais e Fatores de Risco do Alzheimer. “O principal objetivo foi mostrar aos participantes quais são os principais sintomas em cada fase da doença e como o cuidador e/ou familiar deve agir com esse idoso, sempre reforçando que o contato olho no olho, um carinho e uma demonstração de afeto e amor são essenciais para a pessoa com Alzheimer”, explica a Ariella de Souza, psicóloga da Unimed Cascavel.

No dia 21 de setembro será comemorado o Dia Mundial da Doença de Alzheimer. A palestra oferecida pela cooperativa de saúde foi uma forma de levar informação a quem lida com a doença. Ivania Zanella, técnica de enfermagem, estava entre as participantes da palestra. “Eu pretendo ser cuidadora de idosos. Cada aprendizado é sempre importante, pois tudo está se inovando na área da saúde. Esse curso é excelente, ainda mais assim, de forma gratuita e aberta para quem tem interesse”, elogiou.


Alzheimer

A Doença de Alzheimer (DA) é um transtorno neurodegenerativo progressivo e fatal que se manifesta pela deterioração cognitiva e da memória, comprometimento progressivo das atividades de vida diária e uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e de alterações comportamentais. A doença se instala quando o processamento de certas proteínas do sistema nervoso central começa a dar errado. Então, surgem fragmentos de proteínas mal cortadas, tóxicas, dentro dos neurônios e nos espaços que existem entre eles. Como consequência dessa toxicidade, ocorre perda progressiva de neurônios em certas regiões do cérebro, como o hipocampo, que controla a memória, e o córtex cerebral, essencial para a linguagem e o raciocínio, memória, reconhecimento de estímulos sensoriais e pensamento abstrato.

A causa do Alzheimer ainda é desconhecida, mas acredita-se que seja geneticamente determinada. A doença é a forma mais comum de demência neurodegenerativa em pessoas de idade avançada, sendo responsável por mais da metade dos casos de demência nessa população.

A DA ainda não possui uma forma de prevenção específica, no entanto os médicos acreditam que manter a cabeça ativa e uma boa vida social, regada a bons hábitos e estilos, pode retardar ou até mesmo inibir a manifestação da doença.

Cuidar de você. Esse é o plano.