De repente, diarreia! Saiba o quanto a falta de higiene coloca a sua saúde em risco

Unimed Cascavel
03/06/2019 09:08

Uma sensação estranha no estômago, seguida por uma vontade urgente de ir ao banheiro. Tudo isso não só uma, mas pelo menos três vezes ao dia, com muito líquido eliminado nas fezes. A diarreia é uma complicação intestinal que pode ser causada por uma série de fatores, incluindo vírus, bactérias e protozoários presentes na água usada para o consumo ou preparo de alimentos. Geralmente, a condição perdura por alguns dias, que podem se transformar em semanas.

Vírus: A gastroenterite viral é uma das doenças mais comuns da humanidade. Pode acometer pessoas de todas as idades, sexos, etnias e condições econômicas. Estima-se que esse tipo de diarreia seja registrado mais de cinco bilhões de vezes por ano, no mundo todo. As viroses mais frequentes são causadas pelo Rotavírus, Norovírus, Adenovírus, Sapovírus e Astrovírus. Nestes casos, a transmissão normalmente se dá pelo contato próximo com alguma pessoa doente, principalmente por mãos contaminadas pelo vírus. Na maioria dos casos, a doença é de curta duração e não é necessário o uso de medicamentos, mas é importante manter-se bem hidratado, principalmente quando se trata de crianças pequenas. Em casos mais graves, pode ser necessária a internação hospitalar para administração de soro intravenoso.

Bactéria: Na diarreia bacteriana, os sintomas são quase os mesmos da causada por vírus. Porém, pode haver sangue nas fezes. Normalmente, a contaminação é por meio de alimentos. A bactéria mais comum é a Salmonela, que pode estar presente na carne de gado, de frango, nos ovos e no leite não pasteurizado. O tratamento da gastroenterite bacteriana é feito com medicamentos para controlar a dor, a febre e os vômitos. Antibióticos são usados apenas nos casos mais graves.

Protozoário: Este tipo de microrganismo vive na água ou em lugares bastante úmidos. Por isso, pode causar doenças que têm origem no consumo de água contaminada, o que leva a uma série de doenças que têm como principal sintoma a diarreia. Nestas situações, o paciente pode demorar a se livrar da gastroenterite, pois mantém o consumo da água onde está o protozoário, o que faz a diarreia perdurar por mais tempo. Normalmente, a suspensão do consumo da água contaminada é o suficiente para resolver o problema.

Outros Fatores: A gastroenterite também pode ser causada por outros fatores, como remédios, álcool ou doenças (intolerância à lactose, doença de Crohn ou doença celíaca). O importante é estar atento aos sinais e hidratar-se bem para evitar complicações, especialmente entre pacientes com baixa imunidade (crianças, idosos e doentes crônicos).

“Em quadros de diarreia, uma receita que é bem-vinda é o soro caseiro, que é muito fácil de preparar: basta usar 1 litro de água fervida e adicionar uma colher de sopa de açúcar e uma colher de chá de sal. Esse soro pode ser armazenado na geladeira e a pessoa vai consumindo ao longo do dia. A desidratação causada por uma diarreia prolongada pode causar problemas no funcionamento do corpo, o que deixa a pessoa mais vulnerável a outras doenças. A diarreia prolongada também pode estar relacionada a questões mais graves, como infecções, inflamações e até câncer. Por isso, é importante estar atento.” - Nilson Zortea, médico gastroenterologista da Unimed Cascavel.


Como evitar

O cuidado com a água para o consumo humano é o fator mais importante. Se você bebe água da torneira, pode evitar riscos se ferver a água, de preferência por aproximadamente um minuto após começar a borbulhar. Isso vale para beber e preparar os alimentos. Limpar bem os utensílios e manter a caixa d’água de casa bem higienizada também são medidas importantes para proteger a sua família e você mesmo.

“Para guardar os alimentos, devemos ter boas condições sanitárias e uma lavagem correta. Para isso devemos ferver a água para lavar as frutas, verdura e legumes. Após a lavagem, não devemos deixar excesso de água para que as mesmas durem mais. Antes da manipulação dos alimentos, é muito importante a lavagem correta das mãos. Deve-se lavar em água corrente (filtrada) entre os dedos, dorso, na parte superior e inferior até o punho, com sabão liquido neutro. Após esse processo, enxaguar novamente com água corrente. Antes de serem consumidas, as hortaliças devem ser lavadas na água fervida (a água deve estar em temperatura ambiente). Após isso, devemos diluir 1 colher de sopa rasa de água sanitária de 2% a 2,5% em 1 litro de água ou 2 colheres de sopa rasa de hipoclorito de sódio a 1% em 1 litro de água. Deixar em imersão de 15 a 30 minutos e enxaguar novamente com a água fervida (a água deve estar em temperatura ambiente). Depois desse processo, as hortaliças estarão prontas para o consumo. Em caso de diarreia e consequente desidratação, é importante manter uma dieta leve. O cardápio deve conter frutas, legumes e verduras, já que apresentam alto teor de água na composição, incluindo alimentos que ajudem a melhorar o quadro. Mas para repor os sais mineiras de forma mais rápida, podemos acrescentar soro caseiro, sucos naturais (fruta), bebidas eletrolíticas (isotônicos), água de coco, chás e água (filtrada ou fervida)”, orienta a nutricionista Val Volkmann.


Higiene rigorosa

O cuidado com a sua higiene e com a limpeza do lugar onde você vive pode evitar não só a diarreia como uma série de outros problemas de saúde. A Unimed Cascavel faz este alerta para que você viva bem.

Nesta época do ano, aumenta o número de casos da doença pé-mão-boa, que também tem relação com a falta de higiene. No vídeo abaixo, a médica pediatra Maria Cecília, do Centro de Atenção à Saúde Unimed Cascavel, explica a doença e dá dicas de como evitá-la:


Cuidar de você. Esse é o plano.