Inclusão: a humanização dos serviços para pessoas com deficiência auditiva

Redação Tarobá News
01/10/2019 06:23

Um mundo sem som poderia ser encarado como um texto sem palavras...

É possível preencher páginas em branco com CUIDADO e RESPEITO. No mês em que se comemora o Dia Nacional do Surdo (26 de setembro) a Unimed Cascavel reforça as ações que tem desenvolvido para estimular a inclusão de pessoas com deficiência auditiva.

Acessibilidade

A própria Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) recomenda que as operadoras de saúde ofereçam ambiente adequado aos portadores de necessidades especiais. Em vista disso e imbuída da missão de cuidar de pessoas, a Unimed Cascavel colocou em prática um curso de Libras (Linguagem Brasileira de Sinais) para melhor atender beneficiários surdos.

Desde 2017 foram oferecidas formações a mais de 60 colaboradores de diversos setores da cooperativa, incluindo aos que atuam diretamente no atendimento aos beneficiários. Eles passaram a ser identificados por um cordão amarelo no crachá. Rosangela Pickler, que só se comunica por gestos ou escrita, foi a primeira cliente recebida pelo atendimento personalizado. Ela precisava de informações sobre o prazo de validade de uma guia para atendimento médico. Rosangela contou com ajuda da intérprete Daniela Santos, do setor de Contas Médicas. “Ao  mesmo  tempo  que  causa  certo  receio,  devido  à  vontade  de  acertar,  ter  o  contato  com  deficiente auditivo causa alegria. Saber me comunicar diante de uma situação que não é habitual me faz entender que, mesmo com as diferenças, somos todos iguais”, disse Daniela.

Em novembro de 2018, um paciente deficiente auditivo veio à cooperativa atrás de referências em Ortopedia. Ele foi atendido pela intérprete Bianca Brum, também da área de Contas Médicas. “Eu tenho uma amiga que é deficiente auditiva. Foi a partir disso que eu aprendi a comunicar em Libras”, revela a colaboradora.

Devido à facilidade de se comunicar por meio de sinais, Bianca passou a auxiliar também nos encontros do Projeto Cegonha, traduzindo o conteúdo a uma  gestante surda que participou das atividades oferecidas pela Unimed Cascavel às mulheres grávidas. Com as mãos, a mamãe Márcia Garcia elogiou o projeto: “Me senti incluída e aprendi com esse jeito de cuidar da Unimed Cascavel."

Imersão

A Unimed também estimula que os intérpretes conheçam de perto a realidade e as necessidades de deficientes auditivos. Oito participantes do curso de Libras fizeram uma visita à Escola Cascavelense de Amigos de Surdos (Acas). Os voluntários participaram do encontro da Pastoral de Surdos, momento com ensino bíblico e bingo, tudo por meio da linguagem de sinais.

Treinamento contínuo

Para esta sexta-feira (27) está marcado mais um encontro dos intérpretes da Unimed Cascavel. Das 18h30 às 22h, eles passarão treinando o alfabeto e comunicação geral. Em outubro já começarão as aulas sobre as necessidades internas para comunicação especifica da cooperativa. As orientações são repassadas pelo professor Rodrigo Cezar Mendes, formado em Educação Especial pela Universidade Federal de Santa Maria (RS), com pós-graduação em Educação Especial e em Psicopedagogia Clínica e Institucional. “É muito bom quando uma empresa tem esse olhar humanizado em relação ao outro. Percebo que os colaboradores da Unimed estão dispostos a aprender a linguagem de sinais. Isso já facilita muito. Para o paciente, essa iniciativa é muito boa, pois o faz se sentir bem acolhido e compreendido em suas necessidades”, resume o professor.
                                                                                                                                      Inclusão. Esse é o plano.