Sarampo: todas as crianças de seis meses a menores de um ano devem ser vacinadas

Unimed Cascavel
23/08/2019 07:41

 O Ministério da Saúde recomenda que a vacina contra o sarampo em crianças com idade entre seis meses e 11 meses e 29 dias para combater a disseminação do vírus no país. Nessa faixa etária, será ofertada uma dose complementar, chamada de dose zero, como já acontece em campanhas como a de combate à poliomielite. 

De maio até a primeira dezena de agosto de 2019, 1.680 casos de sarampo no Brasil, foram confirmados, além de 7,5 mil casos em investigação. No período, de acordo com o ministério, não houve mortes confirmadas decorrentes da enfermidade.

Após um surto envolvendo estados da Região Norte no início do ano, um novo surto foi registrado no estado de São Paulo, que concentra, atualmente, 1.662 casos em 74 municípios - 98,5% do total de casos. Em seguida aparecem Rio de Janeiro, com seis casos, e Pernambuco, com quatro. Com um caso estão Goiás, Paraná, Maranhão, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Bahia, Sergipe e Piauí.

Por ser um público com maior possibilidade de contágio, foi realizada a recomendação da vacinação de forma adicional nas crianças nessa faixa etária. O número de incidência em bebês de até um ano é de 38,28 casos para cada grupo de 100 mil, enquanto a média de todas as faixas etárias ficou em 4,12. Normalmente, a imunização acontece por meio de duas doses, aos 12 meses e aos 15 meses de vida.

Jovens adultos

Além dos bebês, outro público que preocupa o ministério da saúde é o de jovens adultos, pessoas de 20 a 29 anos. Onde ocorrem nove casos de sarampo para cada grupo de 100 mil, mais que o dobro da média nacional. De acordo com o ministério, pela rotina de imunização estabelecida, pessoas com até 29 anos devem já ter recebido duas doses contra o sarampo. Já quem tem entre 30 e 49 anos deve ter tomado pelo menos uma dose.

Contraindicações

A vacina não dever ser feita em crianças menores de seis meses de idade, gestantes, pacientes imunodeprimidos ou com reação alérgica grave (anafilaxia) após dose prévia ou após contato com as substâncias que compõem a vacina. Recomenda-se também um intervalo de 30 dias após a vacina para as mulheres que querem engravidar.


Atendimento Pediátrico Unimed Cascavel 

Agora os beneficiários da Unimed Cascavel podem contar com o atendimento pediátrico noturno, para casos agudos.   

Os atendimentos são de segunda a sexta das 18h às 22h e aos sábados das 8h às 12h, no Centro de Atenção à Saúde – CAS. 

Você pode agendar o seu horário através do telefone de WhatsApp: (45) 99969-0192.



Fonte: Agência Brasil