Linha 4

Publicidade

Isaquias Queiroz revela que o começo de tudo foi em Cascavel

Luciano Neves

Isaquias Queiroz participa do Brasileiro de Canoagem em Cascavel. Fotos Luciano Neves

O alvoroço em torno de uma só pessoa no Lago Municipal de Cascavel na manhã desta sexta-feira (03) já indicava que a pessoa em questão se tratava mesmo de Isaquias Queiroz. De fato, lá estava ele, trajando a camisa do Flamengo, clube que está representando na canoagem. Por várias vezes, o próprio Isaquias Queiroz tomou o barco nas costas e o levou para a organização para que o equipamento passasse pela pesagem. Queiroz repetiu esse ato por três vezes até que recebeu o aval para colocar o barco na água para a sua primeira prova no Campeonato Brasileiro de Canoagem Velocidade, em Cascavel. Enquanto aguardava a aferição do equipamento, ele atendia os fãs, formados basicamente por canoístas, que vieram dos mais variados lugares do país para a disputa da competição nacional. Depois de todo esse trâmite, Isaquias Queiroz, campeão olímpico na prova do C1 1000 metros, em Tóquio, finalmente pôde remar na prova que o colocou no topo do mundo em uma Olimpíada. Obviamente, se formou outra ‘muvuca’ às margens do Lago Municipal de Cascavel, palco da competição. Afinal, todos queriam ver de perto o campeão olímpico. Isaquias provou mais uma vez porque é o melhor atleta do planeta nesta categoria e repetiu o que fez em Tóquio. Deu uma arrancada nos metros finais, assumiu a dianteira e venceu a prova para delírio dos fãs.

Isaquias tem uma agenda cheia em Cascavel, já que fará a final do C1 1000 metros, irá remar também o C1 500 metros. E fará as provas do C2 500 e 1000 metros ao lado de Jacki Godmann. O atleta é favorito em todas elas e deve voltar para casa com quatro medalhas de ouro.

Mas logo após iniciar as disputas do Brasileiro, Isaquias revelou que o início de tudo foi em Cascavel. Ainda menino, o campeão olímpico participou do Campeonato Brasileiro de Canoagem que foi realizado aqui em 2007. Quatorze anos depois e quatro medalhas olímpicas no currículo, o desejo do atleta é que essa trajetória vitoriosa sirva de inspiração para a nova geração da canoagem. “A grande diferença é que eu cresci. Quando eu vim pela primeira vez em Cascavel, em 2007, eu era um pirralho, bem magrinho mesmo. Passei um frio da nada, sai da Bahia e a competição ocorreu na época de inverno. Mas foi uma época muito boa. Foi a primeira competição nacional e ganhei duas medalhas de prata. Espero não repetir aquele desempenho agora no Brasileiro. Voltar depois de muito tempo é muito bom. Estou iniciando esse novo ciclo, agora para Paris em 2024, e tenho a sensação de estar começando tudo de novo”, disse o atleta.

Esta foi a primeira prova de Isaquias Queiroz após a conquista do ouro olímpico em Tóquio. Em agosto, o atleta faturou a quarta medalha olímpica, três delas foram no Rio de Janeiro, em 2016. “Se eu não pudesse vir para competir, viria para passear e prestigiar o evento nacional. Voltei a treinar há um mês depois das férias em Tóquio. Mas eu vim para incentivar a molecada, mostrar para eles que é possível ser campeão mundial e olímpico”, disse o canoísta.

Os artigos dos blogs não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor do texto.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade

Nós usamos cookies teste site para lhe proporcionar a melhor experiência possível lembrando de preferências em visitas anteriores. Clicando em "Aceitar" você aceita o uso de cookies e nossos Termos de Uso.