Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Brasil tem 1.953 startups do agronegócio, aponta relatório Radar Agtech 2023

04/12/23 às 17:27 - Escrito por Band
siga o Tarobá News no Google News!

Em 2023, o número de startups que atuam no agronegócio brasileiro aumentou chegou a 1.953, aponta o relatório Radar Agtech 2023, elaborado pela Embrapa, SP Ventures e a consultoria Homo Ludens, divulgado nesta segunda-feira (4). O número representa um acréscimo de 250 empresas no setor (15%) em relação ao ano passado. Na contramão do movimento, 500 startups foram excluídas do levantamento, pois encerraram as atividades, ou foram incorporadas a outras empresas.


O relatório apontou que, na região Sudeste, houve uma descentralização das startups. Em 2022, a região representava 61,4% das agtechs instaladas no país, mas essa proporção foi reduzida para 56,9%, mas o estado de São Paulo continua sendo o principal polo investimentos em inovação do país, com 43,4% das startups.


Um dos destaques do relatório traz o aumento de startups na região Norte, de 1,5% em 2022 para 5,9% neste ano, com 100 agtechs com atuação na área da Amazônia Legal (no ano passado, eram 36). 

Leia mais:

Imagem de destaque
NO BRASIL

Pesquisa valida vacina contra verminose de caprinos e ovinos

Imagem de destaque
EM QUATRO BARRAS

PCPR apreende uma tonelada de carne em frigorífico ilegal

Imagem de destaque
VEJA PROPOSTA

MDS e Ceagesp articulam parceria para evitar desperdício de alimentos

Imagem de destaque

Produtos in natura e semielaborados puxam alta dos alimentos em janeiro

Entre as cidades brasileiras com o maior número de startups do agronegócio, o radar aponta que São Paulo tem 385 agtechs, Piracicaba, 66, Ribeirão preto, 60 e Campinas, 47. Dentro do panorama, 815 startups (41,7%) focam em atividades classificadas no estudo como “dentro da fazenda” e atuam com o desenvolvimento de tecnologias voltadas para as necessidades cotidianas na produção agropecuária, principalmente plataformas de gestão de propriedade, irrigação e sensoriamento remoto.


“O ecossistema continua amadurecendo, com aumento do número de agtechs e uma tendência lenta de descentralização geográfica. Os Ecossistemas de Inovação mais tradicionais continuam sendo destaque: no estado de São Paulo, a capital tendo o maior número de agtechs e a maior diversidade de categorias; e as cidades de Piracicaba, Ribeirão Preto, Campinas, São José dos Campos e São Carlos estão em posições de destaque no ranking de cidades com maior número de agtechs e de concentração de agtechs/população”, afirma. 


Na etapa considerada ‘antes da fazenda’, o Brasil tem 331 agtechs (17%). Essas empresas oferecem serviços como crédito para compra de insumos, máquinas ou equipamentos. As fintechs somam 85 no país. Já para a fase ‘depois da fazenda’, como as áreas de distribuição e logística, o relatório aponta que existem atualmente 277 startups. 


O Radar AgTech 2023 mostrou que na área de alimentos inovadoras, o número de investimentos caiu neste ano. De acordo com Cleidson Dias, analista da Embrapa e um dos coordenadores do estudo, o perfil tecnológico dos produtores rurais  brasileiros continua influenciando a inovação em cinco categorias principais: alimentos inovadores e as últimas tendências alimentares; sistemas de gestão de propriedade rural; plataformas integradoras de sistemas, soluções e dados; marketplaces e plataformas de negociação e venda de produtos agropecuários; e drones, máquinas e equipamentos. Esses cinco setores de agtechs, em conjunto, representam 40% do cenário total. 


Com base em dados obtidos em colaboração com o Sebrae, o estudo também destaca que 36,4% das agtechs têm pelo menos uma mulher em sua estrutura societária. Esse número representa um aumento em relação a 2022, quando apenas 28,7% das empresas contavam com participação feminina na sociedade.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá