Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Bolsonaro depõe sobre suposta importunação de animal marinho

28/02/24 às 08:22 - Escrito por Agência Brasil
siga o Tarobá News no Google News!

O ex-presidente da República Jair Bolsonaro prestou depoimento, na tarde desta terça-feira (27), na Polícia Federal, em São Paulo, sobre um caso de suposta importunação de animal marinho, ocorrido em junho de 2023, em São Sebastião, no litoral paulista.


Na época, vídeos publicados nas redes sociais mostraram que, de jet ski, com o motor ligado, Bolsonaro se aproximou de uma baleia jubarte no momento em que ela aparecia na superfície da água. O ex-presidente chegou a ficar a menos de 15 metros de distância do animal. Uma portaria do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no entanto, proíbe embarcações com motor ligado a menos de 100 metros de qualquer baleia.


O advogado de Bolsonaro, Daniel Tesser, que acompanhou o depoimento, disse que o ex-presidente se reconheceu nos vídeos, mas declarou que não houve importunação do animal. “Você não consegue controlar um animal daquele tamanho que surge, ele emerge da água, de baixo. Foi exatamente o que aconteceu. O presidente tomou todas as precauções a partir do momento [em] que avistou a baleia, que é o que a lei determina”, disse o advogado após a oitiva.

Leia mais:

Imagem de destaque
BOLADA

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 56 milhões

Imagem de destaque
NO DISTRITO FEDERAL

Empresária é presa por manter relação sexual com menino de 13 anos

Imagem de destaque
TRAGÉDIA

Seis pessoas são mortas a facadas em shopping na Austrália

Imagem de destaque
VEÍCULO DA DIOCESE

Padre é parado em blitz e é preso por portar armas e munições


“Ele [Bolsonaro] também nem sabia que tinha essa proibição, mas, mesmo assim, tomou todos os cuidados necessários para não criar nenhum tipo de interferência”, acrescentou.


O Ministério Público Federal abriu o processo de investigação em novembro do ano passado. A apuração vai definir se Bolsonaro desrespeitou a lei que proíbe “qualquer forma de molestamento intencional”, ou a importunação de baleias. A punição prevista é de dois a cinco anos de reclusão e multa.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá