Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Governo estuda auxílio de R$ 5 mil por família desabrigada no RS

14/05/24 às 16:10 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

A equipe econômica do governo federal trabalha para viabilizar um pacote de auxílios para os afetados pelas enchentes que assolam o Rio Grande do Sul nas últimas semanas. O valor proposto pelo Ministério da Fazenda totalizaria R$ 5 mil por família, segundo apurou a colunista da BandNews FM Mônica Bergamo. A estimativa que o valor seja concedido a 100 mil famílias.


O pagamento seria único e em forma de vouchers, inicialmente para reconstrução e aquisição para reposição de perdas materiais, mas o valor do auxílio teria restrições para outros usos que os chefes ou as chefes de família julgarem necessários. A proposta espera o aval do presidente Lula para ser viabilizada e apresentada.


A jornalista pontua, porém, que os problemas de infraestrutura e a demanda crescente por eletrodomésticos, materiais de construção e outros bens básicos de consumo pode gerar a inflação do preço desses itens.

Leia mais:

Imagem de destaque
PACIENTES

Auxílio para pessoas com transtorno mental tem aumento de R$ 255

Imagem de destaque
CONVIDADA

Mesatenista Carla Maia vai disputar Paralimpíada de Paris

Imagem de destaque
CESTAS BÁSICAS

Exército leva nesta terça 75 toneladas de donativos para o RS

Imagem para ilustrar o sorteio da mega-sena. Crédito para agência Brasil
APOSTAS ABERTAS

Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio de R$ 35 milhões


Para tentar evitar esse cenário, o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços Geraldo Alckmin vai se reunir com representantes do setor industrial para fazer uma negociação. Em contato com Mônica, Alckmin disse que a indústria está bem sensível à catástrofe. A ideia é cobrar um preço "tabelado" de produtos com grande demanda em meio a perda total de bens e residências.


A ideia inicial era de oferecer linhas de crédito com juros baixos ou zero, mas na situação pela qual passam as pessoas do Rio Grande do Sul seria preciso um longo prazo para quitar esse montante. Por isso, foi proposta a opção de depositar os valores diretamente às famílias afetadas sem burocracia.


Bergamo vê aspectos semelhantes da situação do Rio Grande do Sul com a do Brasil durante a pandemia de Covid-19, onde as pessoas também receberam benefícios do governo para ajudar às pessoas que precisavam ficar confinadas e não podiam trabalhar ou ter outra forma de renda.

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá