Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Ação utilizada em Londrina contra a dengue é testada em SP com a ajuda de drones

27/02/24 às 21:35 - Escrito por Assessoria de Imprensa
siga o Tarobá News no Google News!

Nesta semana foi realizada em São Paulo a maior soltura experimental de mosquitos estéreis com drones, foram mais de 30 mil, simulando com sucesso uma situação real de combate ao Aedes aegypti.


A metodologia desenvolvida pela empresa Forrest Brasil é a do Controle Natural de Vetores, conhecida como CNV, utiliza mosquitos machos estéreis Aedes aegypti para prevenir surtos de dengue e outras arboviroses, reduzindo significativamente a proliferação do vetor. Essa metodologia foi aplicada em Londrina, que teve apenas uma área tratada, com redução de 85% da infestação do mosquito.


Estudos publicados na revista The Lancet e na The Journal of Infectious Diseases evidenciam a eficácia do CNV. Em Ortigueira, Paraná, uma das cidades que também recebeu o método em escala comercial, houve uma redução impressionante de 98,7% na proliferação do mosquito após a aplicação do método. 

Leia mais:

Imagem de destaque
EM LONDRINA

Receita Federal apreende cinco mil encomendas com produtos irregulares

Imagem de destaque
EM LONDRINA

Aluno com Transtorno do Espectro Autista fica ferido em escola estadual

Imagem de destaque
ZONA SUL

Colisão entre moto e carro deixa um homem de 53 anos gravemente ferido

Imagem de destaque
EM ARAPONGAS

Carro furtado é encontrado 'depenado' em meio à plantação de abacate


Os drones da startup Birdview complementam o combate à dengue ao desenvolver tecnologia inovadora para controle do Aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika. Em colaboração com a Embrapa Instrumentação e com apoio do Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (Pipe), a empresa criou um sistema modular de liberação e embalagem, integrado a drones, para a soltura controlada de insetos adultos.


“No ambiente agrícola, a tecnologia já é empregada no controle biológico de pragas, liberando insetos inimigos naturais sobre lavouras. Nas áreas urbanas, a solução quer agora liberar mosquitos Aedes aegypti machos e estéreis para reduzir a população do inseto, interrompendo seu ciclo de reprodução” – explica Ricardo Machado.


“A introdução de drones no processo aprimora a eficiência do CNV, porque facilitam e otimizam a soltura, proporcionando geolocalização precisa e contribuindo ecologicamente ao eliminar emissões de CO2 – detalha a diretora executiva da Forrest Brasil, Elaine Paldi.  Além dos benefícios ambientais, a utilização de drones integra-se a projetos sociais, incentivando o interesse pela tecnologia e robótica.


O que é o CNV?


O chamado CNV, Controle Natural de Vetores, da Forrest Brasil, é uma solução que utiliza o método (TIE) Técnica do Inseto Estéril.


Os mosquitos machos estéreis da Forrest são produzidos a partir de uma cepa local e não são geneticamente modificados, por isso, um método ecologicamente correto, livre de resíduos, não prejudica meio ambiente e nem outras espécies nativas do meio ambiente.


Na prática promove a liberação de mosquitos macho estéreis de forma massiva, que se acasalam com espécies selvagens (as fêmeas copulam apenas uma vez), impedindo a procriação e promovendo gradativamente a redução da infestação do mosquito e de doenças transmitidas por eles, como a dengue, Chikungunya e Zica.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá