Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Chaminé construída há cerca de 88 anos será demolida no centro de Londrina

22/02/24 às 13:32 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

A Chaminé da antiga Serraria e Cerâmica Mortari, que funcionava desde 1936, no centro de Londrina será demolida. Uma nova farmácia será construída no terreno. O terreno pertencia à família de Amadeu Mortari, que se mudou para o local e construiu a primeira serraria de grande porte da cidade. Ou seja, praticamente desde que a cidade foi fundada. Londrina nasceu em 10 de dezembro de 1934.

 

A construção acompanhou o crescimento e desenvolvimento da cidade. Ali se fabricava de tudo taboas, forros, esquadrias para janelas, batentes, tacos e também se comercializava madeira beneficiada que inclusive era enviada para outras cidades e estados brasileiros.

Leia mais:

Imagem de destaque
SANTOS DUMONT

Câmeras registram acidentes em rotatória instalada em avenida de Ibiporã

Imagem de destaque
TRÃNSITO

Acidente e obras na rodovia deixam trânsito complicado na BR-277

Imagem de destaque
277 VAGAS

Concursos públicos da Prefeitura recebem mais de 35,3 mil inscrições

Imagem de destaque
TRÂNSITO

Carro tenta fazer retorno na marginal da BR-277 e acaba sendo atingido por outro veículo

 

Materiais foram exportados inclusive durante a segunda guerra mundial. Agora o local deu lugar a máquinas e em breve dará espaço a uma farmácia, que será construída no terreno. O proprietário vendeu o terreno para a empresa.

 

Houve um esforço da diretoria de patrimônio histórico, da secretaria de cultura para tentar preservar as configurações arquitetônicas do local. Mas a empresa que comprou o terreno já tem um layout das farmácias e por isso optou pela demolição. Mas segundo a secretaria de cultura, será feito um memorial para preservar a memória do espaço.

 

A situação levanta a discussão sobre a dificuldade em transformar espaços conhecidos da cidade em patrimônios culturais e históricos, em preservar suas características principais e parte da história e memória da cidade. Isso porque preservar a arquitetura de uma edificação privada envolve diálogo com o proprietário. 

© Copyright 2023 Grupo Tarobá