Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Começa júri do homem morto em emboscada que teria sido planejada pela esposa

20/02/24 às 13:13 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

Os quatro suspeitos de envolvimento na morte de Lucas Barbosa estão sendo julgados hoje. O crime chocou a cidade de Assis Chateuabriand. A suspeita é que ele tenha sido vítima de uma emboscada arquitetada pela própria esposa. 


O júri do caso começou às 09 da manhã no fórum da justiça estadual de Assis Chateubriand. Estão sendo julgadas hoje quatro pessoas, uma delas era a esposa da vítima. Eles foram denunciados por homicídio triplamente qualificado. O crime ocorreu em fevereiro de 2020, na residência onde o casal morava.


A mulher de acordo com a denúncia da justiça, planejou e contratou dois homens para matar o marido. O outro envolvido era o amante da mulher. A polícia disse que ele sabia, mas não fez nada para impedir. A forma com o que o assassinato aconteceu chocou os moradores da cidade.

Leia mais:

Imagem de destaque
ZONA LESTE

Homem grita 'moio, gordinho' e três são presos por tráfico de drogas

Imagem de destaque
RODOVIAS

BR-277 é interditada na Serra da Esperança após desmoronamento de rochas

Imagem de destaque
TRIBUNAL DO JÚRI

Homem acusado de matar Ingrid Saldanha é condenado a 28 anos de prisão

Imagem de destaque
SAÚDE

Novos 25 leitos são liberados durante esta quarta-feira no HUOP


A investigação da polícia apontou que a mulher teria convencido o marido a ir se deitar, amarrou as mãos, colocou uma venda em Lucas e sinalizou para que os autores do crime entrassem na casa e matassem o marido. Tudo isso por 800 reais, valor que ela pagaria aos executores.


Neste processo de julgamento devem ser ouvidas mais de 20 testemunhas. Ao todo, são sete advogados entre defesa e acusação. Alguns dos defensores, são nomeados pelo estado. A equipe de reportagem da tarobá, entrou em contato com os advogados. 


Em nota, o Escritório de Advocacia Nepomuceno & Diniz, que representa a ré Bruna de Lima Andriano, de momento a defesa permanecerá em silêncio, e que deve aguardar o decorrer da sessão plenária, para futuras declarações. O defensor nomeado pelo estado, Elso Possatti  que representa Edson José de Souza também se reservou do direito de não prestar maiores esclarecimentos, no momento. O escritório que representa também um dos executores disse que neste momento não vai se pronunciar.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá