Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Dia do Motociclista é marcado por redução de 55% de mortes no trânsito em Cascavel

27/07/22 às 08:29 - Escrito por Redação Tarobá News

Desde 2021, o tripé de segurança viária - engenharia, educação e fiscalização de trânsito - tem  priorizado ações com foco na redução de acidentes e óbitos entre motociclistas em Cascavel, considerando o aumento de 145% de óbitos em 2020 (22) em relação a 2019 (9). Com dados alarmantes, no ano de 2021 a Transitar passou a realizar análises dos fatores preponderantes nos acidentes de maior gravidade, direcionando o planejamento de ações com foco na redução dos sinistros de trânsito, com atenção especial para aqueles envolvendo motociclistas, que são os mais atingidos quanto à gravidade em situações de acidentes.


Já ao fim do segundo semestre do último ano, a Transitar observou os primeiros resultados dessas ações, confirmando em 2021 uma redução de 23% dos óbitos em relação a 2020, com 17 mortes registradas no perímetro urbano. De 1° de janeiro a 26 de julho de 2021, Cascavel contabilizava nove óbitos de motociclistas no perímetro urbano, contra quatro no mesmo período de 2022. As ações conjuntas dos órgãos refletiram em números positivos, apresentando uma redução de 55% em relação ao mesmo período de 2021.


Dados dos acidentes registrados no primeiro semestre deste ano também apresentam números positivos, com queda de 6% nos acidentes envolvendo motocicletas.

Para a presidente da Transitar, Simoni Soares, os resultados são reflexo das várias ações adotadas por todos os órgãos de trânsito, segurança e saúde, de forma integrada, bem como o importante apoio dos veículos de comunicação e da sociedade, que têm chamado os condutores à reflexão quanto ao seu papel para a segurança viária. “Está acontecendo sim uma mudança de comportamento dos nossos condutores”, destaca Simoni.

 

AS AÇÕES

Desde 2021, com a análise dos dados do primeiro semestre, todos os Órgãos iniciaram um intenso trabalho voltado para a segurança dos motociclistas, e ações de educação e de fiscalização de trânsito foram conduzidas de forma integrada, visando à conscientização dos condutores e uma mudança de comportamento na via pública.

Dentre as ações educativas, o foco da Transitar para o segundo semestre é o uso correto do capacete, com inicio das “blitze educativas” no final de junho e previsão de intensificação das fiscalizações a partir de 1° de setembro.


Paralelamente, o setor de engenharia buscou dispositivos de trânsito que se adaptassem à estrutura viária da cidade, visando coibir infrações que podem causar acidentes ou aumentar a gravidade deles, recebendo contribuições através de indicações de representantes da Câmara de Vereadores e do 4° Grupamento de Bombeiros, como as Áreas de Espera Segura, os conhecidos “bolsões para motos”, que teve a implantação do projeto-piloto há exatamente um ano no Dia do Motociclista, no cruzamento das ruas Erechim com Vicente Machado. Hoje já estão estabelecidos em 13 cruzamentos e deverá ser executado em outras vias, conforme avaliação técnica.


O objetivo da sinalização é melhorar a visibilidade nestes cruzamentos, tanto para pedestres quanto para os condutores de veículos automotores, reduzindo também os conflitos de trânsito entre automóveis e motocicletas, onde muitas vezes o "ponto cego" do motorista é a causa de sinistros de trânsito.

A implantação de rotatórias em cruzamentos com alto índice de acidentes tem sido um diferencial para segurança viária, executadas onde é identificado não só conflitos de trânsito, mas também o excesso de velocidade. Neste contexto, a “faixa avançada” também se apresentou como um dispositivo eficiente, implantadas nos cruzamentos das ruas Maranhão com 7 de Setembro e na Santa Catarina com Carlos de Carvalho, visam a melhoria da visibilidade, redução de velocidade e forçam a parada obrigatória em cruzamentos de vias de mão única, se apresentando como uma opção nestas vias, onde não é possível a implantação de rotatórias.


No aspecto de fiscalização, os pontos priorizados foram: excesso de velocidade, avanço de sinal vermelho, avanço de preferencial, falta de habilitação e dirigir sob efeito de álcool, muitas vezes é identificado alguns desses fatores combinados, aumentando os riscos para os condutores.


A velocidade permanece sendo a maior vilã nos acidentes graves e gravíssimos, o que foi coibido no primeiro semestre através de fiscalização com equipamento de radar portátil, sendo ampliada com a instalação dos novos equipamentos fixos, principalmente em cruzamentos semaforizados, inibindo o avanço de sinal vermelho e a conversão proibida que, somados à velocidade, resulta nos acidentes mais complexos. O aumento de operações bloqueio, em dias e horários com maior número de registros de acidentes de trânsito, também contribuem para a redução dos excessos na via pública e inibem infrações como dirigir sem possuir habilitação e o uso de álcool ao volante.

© Copyright 2022 Grupo Tarobá