Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Família entra na justiça para IML liberar corpo de menino queimado

04/12/23 às 15:52 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

A família do menino que morreu carbonizado no Jardim União da Vitória, na zona sul de Londrina, entrou na justiça para liberar o corpo da criança que ainda está no IML.


Já são quase 15 dias sem poder realizar o sepultamento, por que o exame de DNA do menino foi enviado para Curitiba, para confirmar a identificação da vítima.


A advogada da família entrou com uma liminar de urgência pedindo a liberação do corpo de Brayan Kawan da Silva Lopes, que está no IML desde 22 de novembro, quando o menino, que estava prestes a completar seis anos, morreu em um incêndio na casa onde morava.

Leia mais:

Imagem de destaque
CINCO UBSs

Mutirão leva crianças para vacinação contra a dengue em Londrina

Imagem de destaque
VEJA BAIRROS

Rompimento de rede de distribuição de água afeta abastecimento em Rolândia

Imagem de destaque
FINALIZAÇÃO EM JULHO

Obras do Terminal Acapulco ficam cerca de R$280 mil mais caras com aditivos

Imagem de destaque
CRIME EM ORTIGUEIRA

Operação da Polícia Civil prende pessoas suspeitas por morte de adolescente


No momento do incêndio, a mãe não estava na casa. A defesa informou que ela tinha saído para ir à padaria. Os vizinhos disseram à polícia que arrombaram a porta e encontraram muita sujeira, com fezes e urina pelo chão.


De acordo com Tatiane Passos, advogada de defesa, tal observação não procede como acusação porque “a casa (...) estava uma bagunça convencional. (...) O que pode ter sido encontrado, ali, é uma fralda ou outra do bebê que estava com diarreia. Como ela havia saído, de manhã, para buscar leite, muito provavelmente não deu tempo de organizar a casa e de fazer o que deveria ter feito”.


A mãe chegou a ser presa por abandono de incapaz, mas foi colocada em liberdade no dia seguinte com o uso de tornozeleira. Em depoimento, ela negou que a casa estaria trancada.


Além da pergunta, ainda sem resposta, sobre o que teria causado o incêndio, um fato que chama a atenção é que se a casa não estava trancada, é o porquê da criança não ter conseguido sair do local.


A família diz que o menino era bastante agitado, mas não há nenhuma comprovação de que tivesse algum problema cognitivo.


A Polícia Civil (PC) aguarda o laudo da perícia que deve ficar pronto nos próximos dias, para concluir a investigação.

 

© Copyright 2023 Grupo Tarobá