Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Linguagem neutra põe fim em exposição sobre vítimas de feminicídio na Câmara

13/05/24 às 20:12 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

Para comemorar o aniversário do Néias (Observatório de Feminicídio de Londrina), um memorial foi montado na sede da Câmara para homenagear as vítimas. Porém, o título usando a linguagem neutra, desagradou nove vereadores e o resultado foi a suspensão antes do prazo.

 

A exposição “Nenhume a Menos” celebra o aniversário de três anos do Néias destacando o nome e idade de 44 mulheres vítimas de feminicídio na cidade durante esse período.  

Leia mais:

Imagem de destaque
NO PORTA-MALAS

Casal é preso pela PRE transportando 280 quilos de maconha em Rolândia

Imagem de destaque
ENTENDA

PL para Salários e Planos de Carreira dos GMS avança na Câmara Municipal

Imagem de destaque
14ª EDIÇÃO

Evento de networking traz lideranças do setor corporativo para Londrina

Imagem de destaque
IMPRESSIONANTE

Fenômeno raro: luz corta o céu de Maringá e chama atenção de moradores

 

O espaço cedido legislativo foi viabilizado pela vereadora professora Sônia Gimenez, instalado no dia 6 de maio, com previsão de retirada para o próximo dia 20, mas na tarde desta segunda-feira (13), um grupo de voluntárias do observatório se organizou para desmontar o painel. “Nós recebemos essa ordem de retirada com muita surpresa e indignação. É um trabalho para dar visibilidade às mulheres que foram vítimas de menos feminicídio nesta cidade desde 2015”, falou Silvana Mariano, porta voz do Néias.

 

Os vereadores Santão (PL) e Jéssicão (PP) afirmam que o pedido foi feito para alterar a linguagem neutra usada, trocando a palavra “nenhume” por “nenhuma”, e não para retirar toda a exposição.

 

“Desrespeito total à mulher chamar de ‘nenhume’. A mulher é um ser lindo que Deus fez e deve ser respeitada”, disse Santão.

 

A vereadora Jessicão também se manifestou. “Elas jamais deveriam ter incluído essa linguagem neutra que não existe, que totalmente desclassifica as mulheres. Eu sou mulher, sou casada com uma mulher, tenho uma filha mulher e vou batalhar até o fim da minha vida pelas mulheres”.

 

 

 

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá