Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Médica é investigada em Pato Branco por vários crimes

29/02/24 às 09:54 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

A Polícia Civil de Pato Branco, após o recebimentos de denúncias, iniciou uma investigação policial para apurar práticas supostamente irregulares em um consultório médico local, conforme informado pelo Dr. Hélder Lauria, delegado à frente da 5ª Subdivisão Policial. Uma médica está sendo investigada por alegadamente forjar laudos médicos, alegando erroneamente que pacientes estavam com câncer, com o intuito de cobrar por cirurgias desnecessárias.


As investigações apontaram que pacientes buscavam o consultório para tratar problemas dermatológicos e eram informados pela médica sobre a suposta natureza cancerígena de algumas marcas na pele. Após uma coleta de material e um suposto exame em laboratório, as pacientes eram convocadas para uma segunda consulta, onde lhes era apresentado um laudo falso, confirmando a presença de câncer, levando-as a procedimentos cirúrgicos pagos.

Leia mais:

Imagem de destaque
EM MAIO

Prefeitura de Arapongas promove 9ª Feira do Microempreendedor Individual

Imagem de destaque
CENA IMPRESSIONANTE

Marquise de loja no Centro de Rolândia desaba de deixa carros danificados

Imagem de destaque
SOB PROTESTOS

Câmara aprova urgência para projeto que prevê sanções a invasores de terras

Imagem de destaque
EM CADEIRA DE RODAS

Mulher leva homem morto para sacar empréstimo em agência bancária do Rio


A operação resultou na apreensão de celulares, computadores e documentos na residência e no consultório da médica, os quais estão sendo analisados pelo Instituto de Criminalística em Curitiba. Até o momento, seis vítimas foram identificadas, mas o número pode aumentar à medida que a investigação avança.


Dr. Hélder Lauria destacou a gravidade do caso, enfatizando os crimes de falsidade documental, estelionato e lesão corporal, dados os danos físicos e emocionais causados às vítimas. Até agora, não houve prisão, pois o foco tem sido na coleta de provas para aprofundar as investigações e, eventualmente, proceder com o interrogatório da médica envolvida.


O nome da médica envolvida no caso não foi divulgado pela Polícia Civil. A. forças policiais do Paraná, deixaram de publicar em redes sociais, em páginas institucionais e de divulgar à imprensa fotos e nomes de suspeitos ou presos desde o dia 3 de janeiro de 2020, quando entrou em vigor a nova lei de abuso de autoridade.


*Com informações do Diário do Sudoeste.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá