Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Polícia Penal participa de evento internacional de tecnologia e segurança

29/03/24 às 17:41 - Escrito por Assessoria de Imprensa
siga o Tarobá News no Google News!

A Polícia Penal do Paraná (PPPR) participou, entre os dias 26 e 28 deste mês, do II Drone Policial – Seminário de Boas Práticas com Drones na Segurança Pública, realizado em Foz do Iguaçu, no Oeste do estado. O evento é organizado pela Secretaria de Segurança Pública de Foz do Iguaçu em parceria com o Grêmio de Pilotos Remotos da Segurança Pública, entidade sem fins lucrativos que compreende pilotos policiais de todas as forças de segurança com a finalidade de promover a troca de experiências e conhecimentos sobre aeronaves remotamente pilotadas (RPA), popularmente conhecidas como drones.


Composto por palestras, apresentações de tecnologias pelas empresas participantes e oficinas, os três dias de seminário fizeram de Foz do Iguaçu a “capital do drone na América do Sul”, isso porque o evento reúne profissionais de vários países, como Brasil, Paraguai, Portugal, Israel e Letônia, além de forças de segurança de vários estados brasileiros, nesta edição com representantes do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Santa Catarina, Paraíba, Tocantins e Mato Grosso do Sul. Entre as instituições, estiveram presentes equipes das polícias Federal, Militar, Civil, Penal, Científica e Rodoviária Federal, além do Ministério Público Federal, Corpo de Bombeiros, Receita Federal, Ibama, Itaipu, ICM Bio, Exército Brasileiro, Aeronáutica e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


“A Polícia Penal do Paraná tem focado no desenvolvimento e na tecnologia para garantir uma melhor qualidade dos serviços de segurança à sociedade. O uso de drones é cada vez mais imprescindível na atuação das forças policiais e nosso departamento é referência nacional neste quesito. Estes equipamentos nos permitem dar uma resposta rápida e objetiva a quaisquer aproximações suspeitas às nossas unidades prisionais, por isso a importância de continuarmos investindo em conhecimento e tecnologias inovadores para estarmos sempre um passo à frente”, afirma do diretor-geral da PPPR, Reginaldo Peixoto. 

Leia mais:

Imagem de destaque
ENTENDA

Pesquisa da UEL aponta que Bacia do Rio Tibagi sofre aumento de temperatura

Imagem de destaque
CUIDADO!

Golpistas usam tragédia no RS para arrecadar dinheiro em contas pessoais

Imagem de destaque
TRÂNSITO

Mulher morre em grave acidente de trânsito na PR-180 em Cafelândia

Imagem de destaque
TRÂNSITO

Caminhão com fundo falso carregado com produtos eletrônicos é apreendido em Foz


“A participação da PPPR neste evento é de extrema importância pois possibilita a troca de experiências com polícias penais de outros estados brasileiros e também com órgãos de segurança pública de outros países sobre a aplicabilidade destas tecnologias e o uso de drones para garantir a segurança pública”, destaca o policial penal e chefe da Divisão de Operações Aéreas (DOA) da PPPR, Vinicius Vieira Pedroso. 


Conforme Vinicius, os principais destaques do evento foram os drones cabeados, capazes de permanecerem no ar por longo tempo, os drones capazes de fazer reconhecimento facial e de placas identificadoras de veículos e também os drones tripulados, além de ferramentas antidrones para detecção e bloqueios destes equipamentos voadores. Diversas empresas tiveram importante participação no evento expondo novas tecnologias, bem como exemplificando, na prática, a operacionalização destas aeronaves remotamente pilotadas. 


“Pudemos trocar experiências com o Gabinete de Segurança Interna (GSI), da Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro, que emprega essas ferramentas de contagem de custodiados com reconhecimento facial e também de bloqueios de drones”, enfatiza Vinicius Vieira Pedroso. 


"Essas práticas e trocas de experiências entre órgãos e também com outros países, nos proporcionam uma melhor qualificação e nos ajudam na atuação de combate ao crime no âmbito penitenciário de uma forma bastante eficaz com uso de ferramentas e tecnologias que estão disponíveis no mercado", enfatiza o diretor de segurança penitenciária da PPPR, João Schlemper.


Durante o evento também foram realizados exercícios simulados com drones em cenários diversificados, simulando combates, cumprimento de mandado de prisão, deslocamento de equipes em área de risco, entre outros. Os equipamentos utilizados são de última geração, enviados pelas maiores fabricantes de RPAs de segurança pública e militar do mundo. 


O objetivo é compartilhar conhecimentos com drones nas áreas de inteligência, viligância, reconhecimento e aquisição de alvos, bem como métodos de emprego para busca, salvamento e resgate com drones, payloads (carga útil) e plataformas integradoras. Também é objetivo do evento aproximar a indústria de drones, payloads, soluções e plataformas integradoras com o usuário final destas tecnologias




Veja fotos:

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá