Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Relembre caso de suposto estupro de PM contra mulheres em mocó

01/01/24 às 14:43 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

Denúncias de supostos estupros foram mais uma notícia que chocou Londrina em janeiro de 2023. Duas vítimas de supostos estupros denunciados em janeiro reconheceram o policial militar acusado como o autor do crime. O advogado de defesa das mulheres, Mauro Martins, disse que elas identificaram o agressor por meio de chamada de vídeo.


As mulheres teriam sido atacadas em um mocó na Rua Belém, no centro de Londrina. O policial segue preso desde a denúncia da segunda vítima na prisão do 29º Batalhão, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. 


Na chamada de vídeo, as duas mulheres deram características físicas que coincidem com as do PM. "Apesar da defesa discordar da forma como foi feito, elas fizeram o reconhecimento e passaram a descrição compatível”, contou o advogado.

Leia mais:

Imagem de destaque
AUMENTO NÃO ANUNCIADO

Preço da gasolina sofre um aumento de R$ 0,40 em postos de combustíveis

Imagem de destaque
RACHA BR-369

MP oferece denúncia por racha e homicídio doloso à Carlos Miguel Santos

Imagem de destaque
VIAJANTES

Casal larga tudo para viajar pelo país de carro

Imagem de destaque
GUARDA MUNICIPAL

Secretaria de Defesa Social afirma que está comprando 25 novas viaturas


Os supostos estupros teriam ocorrido nos dias 31 de dezembro de 2022 e 15 de janeiro deste ano. Segundo o Boletim de Ocorrência registrado pela segunda vítima, o policial entrou na residência abandonada, conhecida como Mansão dos Nóia, e a forçou a praticar ato sexual com ele. Câmeras de segurança flagraram o policial chegando até o imóvel.


O acusado possui 10 anos de corporação e, recentemente, havia sido transferido do 30º para o 5º Batalhão da PM de Londrina. Quando as investigações começaram, ele teria pedido afastamento por problemas psiquiátricos. O Ministério Público o indiciou pelos crimes de estupro e importunação sexual. O homem segue preso na capital do estado

© Copyright 2023 Grupo Tarobá