Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Adesão obrigatória de produtores rurais à nota fiscal eletrônica começa em 1º de maio

26/04/24 às 16:22 - Escrito por Agência Estadual de Notícias
siga o Tarobá News no Google News!

Produtores rurais estarão sujeitos, a partir da próxima quarta-feira (1º), à obrigatoriedade da emissão da Nota Fiscal de Produtor Eletrônica (NFP-e). A transição para o novo tipo de documento fiscal ocorrerá de forma escalonada. Inicialmente, a exigência valerá para todas as operações interestaduais do setor, além daquelas feitas por produtores rurais que tenham obtido faturamento superior a R$ 1 milhão no ano de 2023.


A partir de 1º de dezembro de 2024, a NFP-e será obrigatória também para os demais produtores rurais em operações internas, ou seja, aquelas que forem realizadas dentro do próprio Estado.


Os prazos de adesão foram estabelecidos pelo Ajuste SINIEF nº 1/2024, aprovado nesta quinta-feira (25) pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Eles implicam uma mudança no processo de documentação fiscal para a circulação de mercadorias no setor agropecuário.

Leia mais:

Imagem de destaque
ANSA

Petrobras decide reativar fábrica de fertilizantes no Paraná

Imagem de destaque
CONTRIBUIÇÕES

Governo ressalta parceria entre Estado e construção civil no desenvolvimento do Paraná

Imagem de destaque
CRIANÇAS ATÉ 5 ANOS

Dia D da vacinação contra a poliomielite será neste sábado em todo Paraná

Imagem de destaque
PARALISAÇÃO

Após três dias, assembleia encerra greve dos professores do Paraná


A NFP-e é um documento exclusivamente digital, emitido e armazenado eletronicamente, destinado a registrar, para fins fiscais, transações que envolvam a circulação de mercadorias. Ao substituir o documento em papel, a NFP-e (modelo 55) possui as mesmas atribuições e validade jurídica que a Nota Fiscal de Produtor (modelo 4), porém, agora adaptada ao ambiente eletrônico.


De acordo com o inspetor-geral de Fiscalização da Receita Estadual do Paraná, Estêvão Ramalho de Oliveira, a decisão de adotar uma obrigatoriedade gradativa levou em consideração as necessidades dos produtores. “Ao oferecer mais tempo àqueles de menor porte, para que se ajustem aos sistemas necessários para a emissão das notas eletrônicas, a mudança busca garantir uma transição suave para o novo tipo de documento fiscal”, diz.

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá