Linha 4

Publicidade

Desaparecimento de empresária é tratado como feminicídio

Redação Tarobá News

A Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão. A ação faz parte das investigações que apuram o desaparecimento da empresária de Rondon, Edna Storari. No bairro Vila Gaúcha foi preso o filho do companheiro , suspeito de ser o autor do crime. A polícia acredita que ele  colaborou de forma intelectual no crime. No bairro Boa Vista foram presos uma outra filha do suspeito e o namorado dela, que são apontados como partícipes no desaparecimento do corpo e na tentativa de apagar provas do crime.

A empresária desapareceu no dia 20 de setembro, e segundo o marido de Edna Storari, ela teria viajado com um casal de amigos da igreja em uma missão no Paraguai, sem levar celular, cartões e sem dizer o correto paradeiro. Um fato que chamou a atenção da polícia, é que o marido de Edna alegou que ela pediu para apagar todos os dados do celular.

O suspeito, que era atual marido de Edna, está preso desde o dia 7 de outubro, agora teve a prisão temporária transformada em preventiva, por isso sem prazo para terminar.

Segundo a polícia, durante todo o inquérito diversas pessoas foram ouvidas, inúmeras diligências realizadas, relatórios de investigação produzidos que levaram a poder apontar participação de cada um no crime em questão. Toda a versão apresentada pelo companheiro foi desmentida dentro do inquérito policial não restando verdade em absolutamente nada do que o mesmo inventou.

Agora o inquérito tem 10 dias para ser finalizado e enviado ao Judiciário e Ministério Público, com os devidos indiciamentos de cada um, que responderão por feminicídio, ocultação de cadáver e fraude processual.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade

Nós usamos cookies teste site para lhe proporcionar a melhor experiência possível lembrando de preferências em visitas anteriores. Clicando em "Aceitar" você aceita o uso de cookies e nossos Termos de Uso.