Arrependido, pai explica por que matou filha e conta que antes de morrer ela disse: ‘Eu te amo’

Redação Tarobá News
Policial | Publicado em 14/06/2019 às 12:29

“Pai, eu te amo. Pai, eu te amo”. Antes de ser morta pelo pai, Aline Miotto Nadolny, de 27 anos sussurrou a frase no ouvido de Luiz Carlos Nadolny, de 48, que confessou  o crime está preso na Delegacia de Piraquara, região metropolitana de Curitiba. A declaração não impediu que a terapeuta ocupacional fosse morta por esganadura na quinta-feira da semana passada, dia 6. O crime foi motivado por Aline ter se negado a ajudar o pai, que queria que ela conversasse com a ex-esposa, mãe da terapeuta, para diminuir o valor de uma pensão paga a outra filha mais nova deles.

Luiz Carlos não tem passagem pela polícia e se mostra muito arrependido por ter cometido o crime. Ele alegou que tudo aconteceu em um momento de raiva, durante uma conversa que teve com a filha, no momento em que Aline saía de casa para trabalhar, ainda no bairro Alto da XV, em Curitiba. “Havia um desacordo dele com a mãe da vítima, sobre o valor de uma pensão para uma irmã menor. Ela se negou a ajudar e falar com a mãe e, em razão disso, o suspeito alega que teve um rompante de ódio e a atacou”, descreveu, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (14), o delegado Reinaldo Zequinão, da Delegacia de Piraquara, onde o corpo da terapeuta foi localizado.

Leia matéria completa em: Banda B



Relacionados

Cascavel | 18-06-2019 18:10

Irmão de Sandro Rossi é detido com arma e munições

Irmão de Sandro Rossi é detido com arma e munições

Cascavel | 18-06-2019 18:05

Polícia Civil desarticula quadrilha que praticava roubos

Polícia Civil desarticula quadrilha que praticava roubos

Cambé | 18-06-2019 17:23

Mulher amarrada e jogada de ponte foi agredida por dívida de 30 reais

Mulher amarrada e jogada de ponte foi agredida por dívida de 30 reais

São Miguel do Iguaçu | 18-06-2019 16:38

76 receptores digitais foram apreendidos na Operação Muralha

76 receptores digitais foram apreendidos na Operação Muralha