Linha 4

Publicidade

Casal encontrado em carro carbonizado foi morto por desavenças familiares, conclui polícia

Murilo Pajolla

A morte de duas pessoas encontradas carbonizadas em um carro na PR-445 no último domingo (14) foi motivada por desavenças familiares. Essa é a conclusão do delegado de Homicídios de Londrina João Reis, que deu mais detalhes sobre o caso nesta quarta-feira (17).

LEIA MAIS:

As investigações mostraram que o autor do duplo homicídio é sobrinho de uma das vítimas, que é servidora municipal da Prefeitura de Londrina. O homem de 24 anos confessou ter matado a tia e o namorado dela e contou em detalhes como teria ocorrido o crime. 

De acordo com a Polícia Civil, a briga entre os familiares começou em março deste ano, depois da morte do pai do acusado. Houve registros de boletins de ocorrência por calúnia e difamação.   

"Essa tia teria enviado um áudio para os familiares dizendo que iria soltar fogos e fazer um churrasco para comemorar a morte do pai dele. Isso deixou ele totalmente transtornado", disse Reis. 

A servidora municipal e o namorado, ambos de 52 anos, foram mortos a tiros na rua em frente à casa onde o acusado mora com a mãe, que é irmã da vítima, em Cambé. 

Segundo o próprio suspeito, ele teria proibido a mulher de ir até a residência. Quando ela chegou na residência para vistar a irmã, houve discussão. Ele afirmou que apontou o revolver calibre 32 do pai para a servidora, que o teria confrontado dizendo: "atira". 

A mulher foi alvejada e o namorado dela - identificado pelo Instituo Médico Legal (IML) como Luis Carlos Tenório Araújo - teria reagido, antes de também ser baleado. 

No interrogatório, o homem relatou que colocou os dois corpos no carro da vítima, um Honda City, e dirigiu sem rumo. Ele só parou às margens da PR-445, perto do distrito de Irerê, para fumar cigarros. 

"Ele falou que fumou um atrás do outro e que não tinha intenção de colocar fogo no veículo", afirmou o delegado João Reis. Um laudo pericial vai determinar como ocorreu o incêndio no carro. Caso seja provado que ele provocou as chamas, o homem será indiciado por ocultação de cadáver, junto com a acusação de homicídio qualificado. 

O acusado foi preso após se apresentar à Polícia Civil de Londrina ao lado do advogado nesta quarta-feira (17). O delegado acredita que o sobrinho tenha cometido o crime sozinho, sem auxílio de outras pessoas. "Era alto e tinha um porte físico forte suficiente para carregar os corpos". 

Identidade da vítima

Embora esteja segura de quem é a vítima, a Polícia Civil ainda não divulgou a identidade da servidora municipal. No IML, parentes dela já reconheceram roupas e parte da face, mas a conclusão definitiva virá de um exame de DNA realizado em Curitiba.   

(Colaboração: Rafael Machado)

COMENTÁRIOS

Publicidade