Linha 4

Publicidade

MP começa a ouvir envolvidos no caso da 'falsa enfermeira'

Redação Tarobá News

Foto por Reprodução

Nesta quinta-feira (14), serão ouvidas duas testemunhas de defesa da 'falda enfermeira" Silvânia Regina Ribeiro Del Conte, que desviou doses de vacina contra a Covid-19 em Apucarana. A informação é da promotora Fernanda Lacerda Trevisan Silverio.

Já na sexta-feira (15), serão 13 interrogatórios de envolvidos no caso da 'falsa enfermeira' e 12 pessoas que supostamente foram beneficiadas com aplicação de vacinas serão ouvidas. 

De acordo com a promotora, o processo do servidor afastado envolvido no caso,  Luciano Pereira, foi desmembrado do caso. "Na quarta ouvimos testemunhas de acusação, porém, algumas não compareceram e eu insisti na inquirição delas, então o Dr. Oswaldo Soares Neto desmembrou o processo em relação ao servidor público, o processo dele vai  correr separado, e acredito em relação a falsa enfermeira e os demais a instrução deve ser concluída na sexta feira , depois vamos preparar as alegações finais e vem a sentença. É um processo muito extenso, tem muitas informações, análise de conversar, vou precisar confrontar todas essas informações. A expectativa é que na sexta seja concluída a instrução em relação da falsa enfermeira e as pessoas beneficiadas com aplicação de vacina por ela, em relação ao servidor o processo ainda vai seguir porque precisamos ouvir outras testemunhas, explica.  

A 'falsa enfermeira' foi presa no dia 15/05 deste ano. O servidor foi afastado das funções no mesmo dia. 

Entenda o caso
A Polícia Civil de Apucarana apreendeu na tarde do dia 15 de março, várias ampolas de vacinas contra covid-19 na casa de uma falsa enfermeira suspeita de ter desviado o material de rede pública de saúde para vender as doses a pessoas que não fazem parte do público alvo da campanha. Na casa da mulher, que se apresenta como técnica em enfermagem, foram apreendidos também carteirinhas de vacinação, celulares e seringas. 

A mulher foi presa e encaminhada a 17 Subdivisão Policial de Apucarana. O mandado de busca e apreensão na casa da detida atendeu a pedido do Ministério Público do Paraná, por meio da 2ª Promotoria de Justiça, que abriu investigação após receber denúncia do vereador Lucas Leugi. A mulher trabalhou como voluntária na campanha de vacinação contra covid-19 até ser afastada após ser alvo das denúncias. 

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade

Nós usamos cookies teste site para lhe proporcionar a melhor experiência possível lembrando de preferências em visitas anteriores. Clicando em "Aceitar" você aceita o uso de cookies e nossos Termos de Uso.