Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Polícia Rodoviária realiza grande apreensão de cigarros e drogas na PR-323

21/11/23 às 12:25 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) apreendeu grande quantidade de cigarros contrabandeados e maconha, no posto policial da PR-323, entre Londrina e Sertanópolis, no final da manhã desta terça-feira (21).


A carga foi localizada, bem embalada, em uma van.


Leia mais:

Imagem de destaque
POLICIAL

Polícia Civil cumpre mandado de prisão por homicídio no bairro Santa Felicidade

Imagem de destaque
MAUÁ DA SERRA

PRF apreende quase 50 quilos de cocaína com casal no Paraná

Imagem de destaque
VIOLÊNCIA

Jovem é morto a tiros no meio da rua no Sanga Funda

Imagem de destaque
VIOLÊNCIA

Imagens flagram homem sendo assassinado após briga entre vizinhos em Santa Tereza do Oeste

"Em todo meu tempo de Polícia, essa é a primeira vez que encontro uma embalagem tão difícil de se acessar" contou o Sargento Edson, da PRE, à nossa equipe de reportagens.


Segundo o sargento, o motorista da van pegou os cigarros em Umuarama e a maconha em Cascavel e estaria levando para Avaré, como frete, de acordo com as alegações do condutor.


"O mesmo alega que desconhecia totalmente a origem da carga" relata o Sargento Edson.


O motorista será ouvido pela autoridade competende que determinará a sentença.


Ao todo, foram apreendidos 226 kg de maconha e, aproximadamente, 30 caixas de cigarros.


Motorista pego com as drogas se manifesta

O motorista pego transportando os cigarros e as drogas, contou à nossa equipe de reportagens que desconhecia o real conteúdo dos pacotes que carregava, por conta do sistema de trabalho: havendo a proposta de frete, em um aplicativo específico, a empresa publica valores, destino, carrega e parte para a entrega.


"Eu tenho uma empresa de frete e transportes. A gente transporta para todo o Brasil e muitos dos fretes saem por um aplicativo. Qualquer um que puxar, hoje, na internet, vai ver que tem um aplicativo de transporte que você posta o seu frete e alguém vem e coleta para você. Tanto que a nossa empresa tem todos os cadastros, todos os dados, todas as negativas para poder carregar. Aconteceu essa tragédia para nós."


Por alegar não saber, previamente, sobre o real teor das mercadorias transportadas, o motorista disse, inclusive, que usará a entrevista como meio de defesa: 


"Eu simplesmente, ontem, carreguei. A pessoa contratou, disponibilizou esse frete, o valor - a gente vai lá e carrega. Hoje aconteceu isso aí... Eu vou usar essa matéria como defesa, porque nós não temos nada a ver com o transporte, tanto que o Policial viu que nós atendemos prontamente ao que ele pediu, ali. É isso: vamos ter que nos defender e deixar um alerta para todo mundo que transporta mercadorias para cuidar com os aplicativos".


O motorista conta ainda que, nas notas fiscais, a carga constava como "ombrelones" (guarda-sóis para piscinas) e "fibra ótica".


"Quando a gente chega na empresa, a nota está pronta e consta, ali, na nota, como nós entregamos para a Polícia, que uma das mercadorias que eu carreguei eram ombrelones e a outra, fibra ótica. 'Tá' tudo embalado, tudo lacrado, nós não temos autoridade para abrir. Tanto que, quando eu parei no posto da polícia, o policial pediu para abrir e eu falei: '- o senhor é uma autoridade, o senhor pode fazer o que você quiser com a mercadoria'. Então ele abriu e constatou isso aí".


© Copyright 2023 Grupo Tarobá