Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Policial militar é preso acusado de estuprar duas moradoras de rua em Londrina

18/01/23 às 16:33 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

Um policial lotado no 5º Batalhão da Polícia Militar (PM), de Londrina, foi preso, na tarde desta quarta-feira (18), acusado de estuprar duas moradoras de rua dentro de um mocó, na região central da cidade. Os abusos teriam acontecido no dia 31 de dezembro e no último domingo (15).


Segundo o Boletim de Ocorrência registrado pela segunda vítima, o policial entrou na residência abandonada, conhecida como Mansão dos Nóia, localizada na Rua Belém, e a forçou a praticar ato sexual com ele. No relato, a mulher descreveu o homem como "moreno forte com um colete preto".


O delegado da Mulher, William Douglas, e o comandante do 5º BPM, tenente-coronel Nelson Villa, concederam coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira para falar sobre o caso. Eles contaram que imagens de uma câmera de segurança da região do mocó confirmaram que o acusado é um policial militar e que as vítimas já foram identificadas e recebem apoio da assistência social.

Leia mais:

Imagem de destaque
CONFRONTO

Cinco homens são mortos em confronto com a Polícia Militar em Cascavel

Imagem de destaque
POLICIAL

Polícia Civil cumpre mandado de prisão por homicídio no bairro Santa Felicidade

Imagem de destaque
MAUÁ DA SERRA

PRF apreende quase 50 quilos de cocaína com casal no Paraná

Imagem de destaque
VIOLÊNCIA

Jovem é morto a tiros no meio da rua no Sanga Funda


Ainda segundo Villa, o homem possui 10 anos de corporação e, há cerca de um mês, foi transferido do 30º BPM ao 5º BPM. Agora, a PM vai abrir processo administrativo para apurar a conduta do homem. “Neste momento, é uma prisão provisória, mas é lógico que a situação fica sujeita a alteração que venha a ser imposta pelo juiz. Neste momento, ele está no quartel do 5º BPM”, afirmou o comandante.


Conforme o delegado, ainda nas imagens de vídeo monitoramento foi possível ver que o acusado chegou ao local em um carro particular, trajado de parte das vestes da PM, e pelo horário, estava fora da jornada de trabalho. Assim que as investigações foram iniciadas, na segunda-feira (16), o suspeito teria apresentado atestado médico por problemas psiquiátricos e a esposa chegou a entregar à PM as armas que estavam de posse dele.


Na oitiva das vítimas e testemunhas, outro caso de importunação sexual surgiu contra o policial. A vítima seria outra mulher em situação de rua. Em relação a esse caso, não foram divulgados detalhes.


O homem também foi interrogado, mas se reservou ao direito de permanecer calado. “Ele não estava com advogado naquele momento, mas posteriormente fomos procurados por um. Aguardamos agora o resultado dos laudos”, disse Douglas. A Delegacia da Mulher tem 10 dias para finalizar o inquérito.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá