Presos por homicídio tiram selfie em cadeia pública

Redação Tarobá News
Policial | Publicado em 12/09/2019 às 19:43

Dois presos por homicídio, ambos moradores de Lindoeste, encontraram-se na Cadeia Pública de Laranjeiras do Sul e registraram o encontro com uma selfie, que foi enviada a familiares e a amigos dos dois e que agora circula pelas redes sociais.

Os dois detentos são: Clodinei Martins dos Santos e Eder Rodrigues dos Santos.

Clodinei foi condenado pela morte do frentista Gilmar Magnagnagno, 23 anos. O crime aconteceu em 2017. Gilmar trabalhava em um posto de combustíveis em Lindoeste e Clodinei teria se irritado com a demora no atendimento e esfaqueou Gilmar, que chegou a ser socorrido, mas morreu. O crime teve grande repercussão na região. 

O crime de Eder é mais recente e também chocou a comunidade. Ele confessou ter matado Sandra Nobre dos Santos, que era sua esposa. Ela foi alvejada por dois tiros enquanto segurava um bebê de um ano de idade. Os outros três filhos do casal presenciaram o crime. Procurado pela polícia, Eder se apresentou como autor no dia 13 de agosto. Ele estava preso na Cadeia Pública de Cascavel até o último dia 4, quando foi transferido para a Cadeia de Laranjeiras do Sul. Pessoas próximas às famílias dos presos relatam que eles trocam mensagens constantemente com familiares.

Com informações: OParaná 



Relacionados

Londrina | 25-02-2020 16:20

Atos de crueldade contra mulheres avançam de forma desenfreada

Atos de crueldade contra mulheres avançam de forma desenfreada

Rolândia | 25-02-2020 15:33

Homem que matou ex-mulher e tirou a própria vida é velado em Rolândia

Homem que matou ex-mulher e tirou a própria vida é velado em Rolândia

Apucarana | 25-02-2020 15:17

Vídeos mostram moradores ateando fogo em casa do suspeito de matar criança baleada

Vídeos mostram moradores ateando fogo em casa do suspeito de matar criança baleada

Curitiba | 25-02-2020 14:30

Associação de bares diz que Carnaval de Curitiba foi subestimado; GM e PM rebatem

Associação de bares diz que Carnaval de Curitiba foi subestimado; GM e PM rebatem