Investigação da Operação Capitu começou com base em delação de Funaro, diz PF

Estadão Conteúdo
Política | Publicado em 09/11/2018 às 12:20

A Polícia Federal (PF) informou nesta sexta-feira, dia 9, que as propinas investigadas no âmbito da Operação Capitu eram negociadas, geralmente, com um deputado federal e entregues aos agentes políticos e servidores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pelo operador Lúcio Bolonha Funaro.

A PF identificou que a JBS dependia de normatizações e licenciamentos do Mapa e teria passado a pagar propina a funcionários do alto escalão do ministério em troca de atos de ofício, que proporcionariam ao grupo a eliminação da concorrência e de entraves à atividade econômica, possibilitando a constituição de um monopólio de mercado.



Relacionados

Cascavel | 25-04-2019 17:24

Ex-prefeito se livra de mais uma condenação

Ex-prefeito se livra de mais uma condenação

Política | 25-04-2019 16:45

Bolsonaro diz que decidirá sobre indicação ao TSE assim que lista chegar até ele

Bolsonaro diz que decidirá sobre indicação ao TSE assim que lista chegar até ele

Curitiba | 25-04-2019 16:21

Projeto de lei obriga presença de intérprete de Libras em eventos oficiais

Projeto de lei obriga presença de intérprete de Libras em eventos oficiais

Política | 25-04-2019 16:00

Raquel Dodge: Constituição aboliu sistema no qual Judiciário julgava e acusava

Raquel Dodge: Constituição aboliu sistema no qual Judiciário julgava e acusava