Brasileiros buscam cursos técnicos na Austrália

Redação Tarobá News
25/06/2019 13:37
(Crédito: Divulgação)

A Austrália é um destino muito requisitado internacionalmente por intercambistas devido a alta qualidade de vida e das instituições de ensino. Entretanto, outro ponto que chama a atenção é a possibilidade de trabalhar enquanto se estuda. Em 2018, os setores que mais aceitaram estudantes brasileiros no país foram os de ensino técnico e profissional (VET – Vocational Education and Training), intensivos de inglês (ELICOS) e os de ensino superior.

O VET se assemelha aos cursos do Senac aqui no Brasil. Conta com formações diversas para o desenvolvimento de habilidades práticas para o mercado de trabalho. Há desde cursos básicos e preparatórios, até formações mais avançadas e que funcionam como uma pós-graduação. As escolas técnicas possuem uma forte ligação com a indústria e, por este motivo, oferecem cursos para atender demandas específicas do mercado.

As instituições que podem dar formações técnicas e profissionais são as Politécnicas (Polytechs), mantidas pelo governo, e os Institutos de Treinamento Particulares (Private Training Providers). Em alguns casos, é possível conseguir créditos com a formação técnica e entrar direto no Ensino Superior.

Os professores são altamente qualificados e as turmas são pequenas (de 15 a 20 alunos por sala). Além de ter uma variedade grande de cursos disponíveis, o VET oferece uma ênfase no aprendizado prático e técnico, possibilitando a inserção na indústria de forma mais rápida. Portanto, é uma ótima alternativa para quem quer fazer um intercâmbio para Austrália e aproveitar a possibilidade de estudar e trabalhar ao mesmo tempo. A parceria e a constante consultoria dos setores industriais também garante a boa qualidade dos cursos ofertados.

Cursos e qualificações

Os cursos são oferecidos em três modalidades:

Certificado I a IV: fornece habilidades mais introdutórias, com habilidades comunicacionais, trabalho em equipe e conhecimentos específicos do setor. Podem durar de seis meses a dois anos.

Diploma: prepara os estudantes para carreiras industriais e empresariais. Requer, normalmente, de um a dois anos em tempo integral.

Diploma Avançado: fornece um alto nível de habilidades práticas para o trabalho, em campos como contabilidade, projeto de construção e engenharia. É possível até mesmo concluir alguns cursos em nível universitário. Pode durar de 1,5 a 2 anos em tempo integral.

Pré-requisitos

Cada curso exige uma certa qualificação para entrar na formação técnica e profissional. É necessário ter concluído o ensino médio e algumas instituições exigem a apresentação do teste IELTS com média 5.5, outras apenas um nível de inglês de intermediário ou avançado. Portanto, é necessário verificar quais são os parâmetros definidos pela instituição escolhida antes de fazer qualquer aplicação.