Mais de 20 deputados e líderes já falaram no debate da reforma nesta quarta

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 26/06/2019 às 15:15

Mais de vinte deputados e líderes já se pronunciaram nesta quarta-feira na comissão especial que analisa a reforma da Previdência. O dia começou com mais de 40 parlamentares inscritos. Muitos deles não compareceram à sessão, a maioria favorável à reforma, e o plenário passou o dia esvaziado. Faltam menos de dez parlamentares que estão inscritos no debate e presentes na comissão. No entanto, líderes podem pedir a palavra a qualquer momento e deputados que já foram chamados, mas não estavam presentes na sua vez, podem ser chamados novamente, caso venham até o plenário do colegiado a tempo.

A tendência é que o debate seja encerrado nesta quarta. Mesmo assim, a leitura do voto só deve ocorrer na quinta. No início da reunião, o relator, Samuel Moreira (PSDB-SP), disse que era possível que ele fizesse a leitura de seu voto complementar ainda nesta quarta. Ele não havia, no entanto, ainda se decidido sobre incluir ou não Estados e municípios na reforma. Moreira disse que tem toda uma estratégia pronta para colocá-los na proposta, mas que aguarda as negociações.

Nesta quarta, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conversa com governadores e parlamentares para incluir os Estados e municípios no texto. "Vamos ver se o Maia traz novidades", disse Moreira sobre a decisão, mais cedo.



Relacionados

Economia | 18-10-2019 10:30

Começa leilão de energia nova A-6 para contratar demanda de distribuidora em 2025

Começa leilão de energia nova A-6 para contratar demanda de distribuidora em 2025

Economia | 18-10-2019 10:25

Dólar cai após dados da China, mas Campos Neto e crise no PSL ficam no foco

Dólar cai após dados da China, mas Campos Neto e crise no PSL ficam no foco

Economia | 18-10-2019 08:35

IGP-M na 2ª prévia de outubro avança 0,85%, afirma FGV

IGP-M na 2ª prévia de outubro avança 0,85%, afirma FGV

Economia | 17-10-2019 20:55

Bolsonaro: País vai terminar 2022 com menos de 10 milhões de desempregados

Bolsonaro: País vai terminar 2022 com menos de 10 milhões de desempregados

PUBLICIDADE