Armínio: uma reforma da Previdência 'mais ou menos' vai ser ducha de água fria

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 11/01/2019 às 17:56

Adriana Franciosi / Agencia RBS

O ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga disse nesta sexta-feira, 11, que "até está com pena" do próximo presidente do BC, Roberto Campos Neto, que vai pegar o País em uma situação bem pior do que ele pegou na década de 1990.

"Naquele tempo tinha um ajuste fiscal a ser feito e a expectativa de crescimento era de menos 4%, não tinha erro. Só tínhamos medo da economia reindexar, aí seria uma outra história", contou durante evento no BC do Rio de Janeiro, que conta com a presença de 14 ex-presidentes do banco e também de Campos Neto.

Fraga disse que a situação fiscal do Brasil é muito ruim, principalmente levando em conta a Previdência, "que é metade dos gastos do governo e sobe a nível assustador".

Ele afirmou esperar que a reforma da Previdência seja "impactante", porque uma reforma "mais ou menos" seria uma ducha de água fria nas expectativas. "Tem que ser focada, com o comprometimento de todos", afirmou em relação ao tema econômico mais polêmico do novo governo, que ainda não teve seu modelo final definido.



Relacionados

Economia | 22-03-2019 17:00

CCJ só anunciará relator da Previdência depois da audiência de Guedes

CCJ só anunciará relator da Previdência depois da audiência de Guedes

Economia | 22-03-2019 16:30

Mourão diz que governo tem que lançar 'pontes' e conversar com Maia

Mourão diz que governo tem que lançar 'pontes' e conversar com Maia

Economia | 22-03-2019 16:05

Flávio Bolsonaro diz que Maia é 'fundamental para aprovar a Nova Previdência'

Flávio Bolsonaro diz que Maia é 'fundamental para aprovar a Nova Previdência'

Economia | 22-03-2019 14:50

Guedes participará de reunião da CCJ sobre Previdência na terça-feira

Guedes participará de reunião da CCJ sobre Previdência na terça-feira