Economia

Economia

Dólar recua com PSDB na base de Temer e fraqueza no exterior


Dólar recua com PSDB na base de Temer e fraqueza no exterior
Fotos: Marcos Corrêa

O dólar opera em baixa no mercado doméstico desde o início da sessão desta terça-feira, 13. A moeda norte-americana é pressionada por um movimento de venda para apuração de ganhos recentes - 2,52% em junho até a segunda-feira, 12, e de 5,49% nos últimos 30 dias. Essas ofertas são induzidas pela fraqueza do dólar nesta manhã no exterior e também a notícia de que o PSDB fica na base aliada do presidente Michel Temer, segundo o diretor da Correparti, Jefferson Rugik.

Contudo, não está descartada uma reversão do dólar para o lado positivo mais tarde. Isso poderá ocorrer, principalmente, se não houver avanço na tramitação da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, em sessão prevista para começar às 10 horas, disse um fonte de câmbio.

As chances de corte de 0,75 pp, em vez de 1 pp, da taxa Selic na reunião do Copom de julho aumentaram, na visão de alguns analistas, após os dados de vendas no varejo do País melhores que o esperado em abril. "Isso favorece também um dólar mais fraco pelo lado da atratividade de fluxo cambial", afirmou a mesma fonte citada acima.

Às 9h49, O dólar à vista caía 0,13%, aos R$ 3,3138. O dólar futuro para julho recuava 0,11%, aos R$ 3,3275.

As vendas do comércio varejista subiram 1,0% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, ficando dentro do intervalo esperado por analistas (-1,70% a +1,30%), mas acima da mediana das projeções (-0,65%). Na comparação com abril de 2016, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 1,9% em abril de 2017. Nesse confronto, as projeções iam de uma retração de 3,00% a crescimento de 1,00%, com mediana negativa de 1,20%. Foi a primeira alta nessa base de comparação após 24 meses seguidos de queda. As vendas do varejo restrito acumularam retração de 1,6% no ano e queda de 4,6% em 12 meses.


Selecione sua cidade

Cascavel | Londrina