Equador recua e reitera apoio ao corte na oferta de petróleo da Opep

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 19/07/2017 às 12:35

Foto: Pensamento Verde

O governo do Equador recuou de seu anúncio de que não cumpriria mais os cortes fechados em acordo por vários países, na iniciativa liderada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). A mudança de posição ocorreu após um telefonema do governo da Arábia Saudita para o país sul-americano.

Em comunicado divulgado no site do Ministério do Petróleo no fim da terça-feira, o ministro do Petróleo equatoriano, Carlos Pérez, afirmou que teve uma "conversação proveitosa" com o ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Khalid al-Falih. "Nós reiteramos nosso apoio à Organização Opep e às ações implementadas", diz a nota equatoriana.

As declarações são divulgadas após Pérez ter dito na segunda-feira que o Equador não poderia mais seguir seu compromisso de cortar a produção em 26 mil barris por dia, "por causa das necessidades que nosso país tem". A posição do país gerou especulações sobre se outras nações não poderiam fazer o mesmo e abandonar a iniciativa. Fonte: Dow Jones Newswires.



Relacionados

Economia | 19-07-2018 12:40

Inadimplência atinge 61,8 mi de consumidores em junho e é a maior desde 2016

Inadimplência atinge 61,8 mi de consumidores em junho e é a maior desde 2016

Economia | 19-07-2018 12:30

Demanda por bens industriais recua 8,3% em maio ante abril, diz Ipea

Demanda por bens industriais recua 8,3% em maio ante abril, diz Ipea

Economia | 19-07-2018 11:30

BC: 96,1% da população ainda usa dinheiro em pagamentos, além de outros meios

BC: 96,1% da população ainda usa dinheiro em pagamentos, além de outros meios

Economia | 19-07-2018 10:40

Receita cancela adesão de 'viciados em Refis' que deixaram de pagar R$ 1 bi

Receita cancela adesão de 'viciados em Refis' que deixaram de pagar R$ 1 bi