Fazenda usa números para sensibilizar parlamentares sobre reforma

Redação Tarobá News
Economia | Publicado em 30/05/2017 às 17:52

Pressionada pela tentativa de lideranças do governo de desidratar a reforma da Previdência, a equipe econômica tenta com números sensibilizar os parlamentares para o impacto negativo para a economia caso a proposta não prospere no Congresso Nacional. Projeções feitas pela equipe do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e apresentadas aos deputados e senadores apontam que a cotação do dólar poderá chegar a R$ 3,60, sem aprovação da reforma. O desemprego atingiria 14%. Com a aprovação da reforma, o desemprego ficaria em 12,5% e o dólar em torno de R$ 3,20.

Num cenário sem a aprovação da reforma, a equipe econômica prevê que o crescimento da economia de 2018 ficará em torno de 1%, bem abaixo dos 2,5% projetados pelo governo. A ausência de reforma também interromperia o processo de crescimento da economia esse ano. A alta do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,5% estimada para 2017 seria revertida em crescimento zero.

Na avaliação da equipe do Ministério da Fazenda, a inflação também seria afetada. A projeção atual de 3,9% deste ano subiria para 4,5%, uma alta de 0,6 ponto porcentual. Em consequência, a taxa de juros cairia menos até o final do ano. Em vez de 8,5% ficaria em 9,5%. Hoje, a taxa está em 11,25%.

O governo busca barrar a tentativa de fatiamento da proposta pelo Congresso. O presidente Michel Temer, Meirelles e outros integrantes do governo reafirmaram nesta terça que não existe plano B para a reforma. Mas as mudanças já são discutidas mais abertamente entre os parlamentares da base.



Relacionados

Economia | 16-07-2018 09:45

Alta do PIB de 2018 cai de 1,53% para 1,50%, aponta Focus

Alta do PIB de 2018 cai de 1,53% para 1,50%, aponta Focus

Economia | 16-07-2018 09:05

IBC-Br cai 3,34% em maio ante abril, com ajuste, revela BC

IBC-Br cai 3,34% em maio ante abril, com ajuste, revela BC

Economia | 16-07-2018 08:55

Energia elétrica pressiona inflação ao consumidor no IGP-10 de julho

Energia elétrica pressiona inflação ao consumidor no IGP-10 de julho

Economia | 16-07-2018 08:45

IGP-10 sobe 0,93% em julho ante alta de 1,86% em junho, aponta FGV

IGP-10 sobe 0,93% em julho ante alta de 1,86% em junho, aponta FGV

PUBLICIDADE