Fundo Brasil-China poderá ter bancos privados

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 16/06/2017 às 11:30

O Fundo Brasil-China, que começou a operar este mês, poderá ter a participação de bancos privados, disse o ministro-interino do Planejamento, Esteves Colnago. Esse fundo vai, na prática, coordenar a análise de projetos por parte dos bancos oficiais brasileiros e, do lado chinês, do Claifund.

Colnago acredita que uma aprovação pelo conselho do fundo, formado pelos dois países, dará um selo de qualidade para os projetos que, assim, teriam acesso a uma gama mais a ampla de financiadores, como os bancos privados.

Boa parte dos projetos a serem inscritos no fundo como candidatos a empréstimo já está em análise em instituições oficiais, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco do Brasil, o que já indica que chegarão ao fundo com uma análise aprofundada.

O fundo não necessariamente implicará em recursos mais baratos do que no sistema financeiro oficial. A operação do fundo está em discussão no Encontro Empresarial Brasil-China, que ocorre no Ministério do Planejamento.



Relacionados

Economia | 21-01-2019 14:50

Bolsonaro diz que discurso de terça-feira no Fórum Econômico será curto e direto

Bolsonaro diz que discurso de terça-feira no Fórum Econômico será curto e direto

Economia | 21-01-2019 14:15

Concessões de aeroportos envolverão investimento de R$ 8,8 bi, diz secretário

Concessões de aeroportos envolverão investimento de R$ 8,8 bi, diz secretário

Economia | 21-01-2019 14:00

WhatsApp limita reenvios de mensagens a cinco usuários em todo o mundo

WhatsApp limita reenvios de mensagens a cinco usuários em todo o mundo

Economia | 21-01-2019 13:40

Preço nominal de imóveis volta a crescer em 2018 após 3 anos de queda, diz Abecip

Preço nominal de imóveis volta a crescer em 2018 após 3 anos de queda, diz Abecip

PUBLICIDADE