Governo espera aumento de R$ 8 bi na arrecadação, diz Guedes

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 14/01/2020 às 18:45

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira, 14, que o novo valor do salário mínimo, de R$ 1.045, valerá já a partir de fevereiro. Guedes e o presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciaram que o governo enviará ao Congresso uma medida provisória corrigindo o valor proposto para o mínimo este ano. O valor anterior era de R$ 1.039.

De acordo com Guedes, o governo precisará "achar os recursos" para permitir o aumento de R$ 6 do mínimo. O impacto total do ajuste, conforme o ministro, será de R$ 2,3 bilhões.

Para fazer frente a esta despesa, o governo espera um aumento de R$ 8 bilhões na arrecadação. Sem dar detalhes, Guedes afirmou que este aumento deve ser oficializado em uma semana. "Nós vamos arrecadar mais R$ 8 bilhões. Não é aumento de imposto nem nada disso, são fontes que estamos procurando", disse Guedes. "Vamos anunciar, possivelmente dentro de uma semana, R$ 8 bilhões, que vão aparecer, de forma que este aumento de R$ 2,3 bilhões vai caber no orçamento", acrescentou.

O ministro não descartou, no entanto, a possibilidade de contingenciamento de despesas mais à frente. "Naturalmente, dependendo das coisas que estamos estimando, se não acontecerem, pode haver um contingenciamentozinho ali na frente", afirmou Guedes. "O importante é o compromisso do presidente com a manutenção do poder de compra do salário mínimo", acrescentou.

De acordo com Guedes, ao promover o aumento do mínimo para R$ 1.045, Bolsonaro defendeu o que está escrito na Constituição, que é a necessidade de manutenção do poder de compra.

Questionado mais uma vez a respeito de possível contingenciamento, Guedes desconversou. "Isso é outro assunto", disse, ao final da entrevista. Guedes e Bolsonaro falaram com jornalistas na portaria do Ministério da Economia, em Brasília.

Novo valor

O novo mínimo leva em conta a variação do Índice de Preços ao Consumidor (INPC) de 2019, que foi de 4,48%. Também foi incorporado um resíduo de 2018 (porcentagem do INPC daquele ano que não havia sido incorporada ao mínimo de 2019). Em 2019, o salário mínimo estava em R$ 998.

Inicialmente, o valor fixado pela área econômica para o salário mínimo neste ano, de R$ 1.039, não repunha a inflação do ano passado. Isso ocorreu porque o reajuste autorizado, com base na última previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2019 ficou abaixo da inflação oficial registrada pelo indicador, divulgada apenas em janeiro.

O INPC serve como base para correção do salário mínimo e é diferente do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial.



Relacionados

Londrina | 04-08-2020 21:30

Shoppings traçam estratégias de retomada até o fim do ano

Shoppings traçam estratégias de retomada até o fim do ano

Cascavel | 04-08-2020 14:55

Inovação no universo digital é tema de webinar gratuita

Inovação no universo digital é tema de webinar gratuita

Economia | 04-08-2020 09:55

Senadores garantem que não aprovarão 'nova CPMF'

Senadores garantem que não aprovarão 'nova CPMF'

Foz do Iguaçu | 03-08-2020 13:18

Itaipu faz nova operação especial para ajudar no escoamento da safra de soja do Paraguai

Itaipu faz nova operação especial para ajudar no escoamento da safra de soja do Paraguai

PUBLICIDADE