Governo Trump propõe mudanças abrangentes nas regulações do setor financeiro

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 12/06/2017 às 19:20

O governo do presidente dos Estados Unidos Estados Unidos propôs uma grande reavaliação sobre as regras que orientam o setor financeiro do país, em um relatório que faz uma série de recomendações que são há anos desejadas pelo setor bancário.

O relatório, descrito em um resumo fornecido pelo Departamento do Tesouro nesta segunda-feira, traz o levantamento mais detalhado até agora da promessa do presidente de rever uma série de regulações impostas após a última crise financeira, que afetam desde empréstimos hipotecários até as operações nas bolsas de Nova York.

Caso sejam implementadas, as diretrizes reduziriam ou mesmo neutralizariam restrições impostas no governo do ex-presidente Barack Obama. O presidente anterior argumentava que as regras eram necessárias para evitar a tomada excessiva de risco, que poderia repetir a crise financeira de 2008.

A equipe de Trump afirma que essas regras, muitas das quais parte da lei Dodd-Frank de 2010, tornaram-se muito restritivas e impedem de maneira desnecessária que os bancos realizem atividades que ajudam a economia a funcionar e crescer.

"Nós tentamos ter o equilíbrio certo entre eliminar regulações indevidas, pesadas, mas sem colocar os contribuintes em risco", afirmou o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin. Fonte: Dow Jones Newswires.



Relacionados

Economia | 20-02-2019 18:35

Petrobras eleva em 1,23% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6538

Petrobras eleva em 1,23% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6538

Economia | 20-02-2019 16:55

Guedes: reforma é para reduzir desigualdades e eliminar privilégios

Guedes: reforma é para reduzir desigualdades e eliminar privilégios

Economia | 20-02-2019 16:35

Marca de R$ 1 trilhão de economia é importante para reforma, diz Guedes

Marca de R$ 1 trilhão de economia é importante para reforma, diz Guedes

Economia | 20-02-2019 15:50

Gilmar diz que dará mais 12 meses para Congresso votar sobre Lei Kandir

Gilmar diz que dará mais 12 meses para Congresso votar sobre Lei Kandir

PUBLICIDADE