Juros seguem avanço do dólar e oscilam em leve alta

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 10/12/2019 às 10:10

As taxas de juros negociadas no mercado futuro iniciaram o dia próximas com leve alta, alinhadas à valorização do dólar à vista nestes primeiros minutos de negociação. A expectativa no mercado é de que a terça-feira que antecede as decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos seja de oscilações marginais nas taxas de juros, com as atenções voltadas ao comportamento do dólar e o noticiário externo.

No exterior, a expectativa de algum desfecho na guerra comercial entre Estados Unidos e China antes do dia 15 mantém o investidor em postura cautelosa, o que se traduz em queda das bolsas e enfraquecimento do dólar ante moedas fortes e algumas emergentes.

Até a segunda-feira, 9, o mercado futuro projetava cerca de 85% de chance de um corte de 0,50 ponto porcentual na taxa Selic na reunião de amanhã do Comitê de Política Monetária (Copom), com 15% de chance de uma redução menor, de 0,25 ponto.

Mais que a decisão de amanhã, o que se espera é um indicativo no comunicado sobre o rumo da política monetária a partir de fevereiro de 2020. Para a primeira reunião do ano que vem, as apostas estão divididas entre um corte residual de 0,25 pp e a manutenção da taxa Selic, que deverá estar em 4,50%.

Às 9h41, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) era de 4,640%, ante 4,619% do ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2023 projetava 5,74%, contra 5,72%. No vencimento de 2025, a taxa estava em 6,38%, ante 6,34%.



Relacionados

Economia | 07-08-2020 12:06

Inflação oficial fica em 0,36% em julho, diz IBGE

Inflação oficial fica em 0,36% em julho, diz IBGE

Economia | 06-08-2020 12:14

BB tem lucro líquido de R$ 3,2 bi no segundo trimestre, queda de 23,7%

BB tem lucro líquido de R$ 3,2 bi no segundo trimestre, queda de 23,7%

Economia | 06-08-2020 12:09

Pnad: desemprego chega a 13,3% no segundo trimestre

Pnad: desemprego chega a 13,3% no segundo trimestre

Economia | 06-08-2020 12:07

Pedidos de seguro-desemprego caem para 570,54 mil em julho

Pedidos de seguro-desemprego caem para 570,54 mil em julho