Movimento do comércio tem primeira alta mensal do ano em junho

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 19/07/2019 às 08:25

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, cresceu 1,3% em junho deste ano na comparação com maio, já descontados os efeitos sazonais, de acordo com dados apurados pela Boa Vista/SPC. É a primeira alta após seis meses consecutivos de retração no movimento. Se comparado ao mesmo mês do ano passado, no entanto, o indicador caiu 1,7%, enquanto no acumulado do ano subiu 1,4%.

"Ainda é cedo para falar em retomada das vendas do comércio", avalia a consultoria. "Fatores como o alto nível de desemprego e subutilização da mão de obra, menor confiança e tímido crescimento de renda continuam sendo os principais entraves para uma evolução mais robusta do setor".

A Boa Vista/SPC entende, por outro lado, que a liberação de recursos de contas ativas do FGTS deve trazer uma injeção de ânimo para o comércio, eventualmente revertendo a trajetória de desaceleração das vendas observada desde o ano passado.

Todos os principais setores acompanhados pela consultoria registraram crescimento das vendas na análise mensal, com "móveis e eletrodomésticos" liderando as altas ao crescer 0,6%. Na sequência, "combustíveis e lubrificantes" avançaram 0,5%, e "tecidos, vestuários e calçados" subiram 0,3%.



Relacionados

Economia | 24-02-2020 11:15

Nível de emprego na construção civil está longe do recorde de 2012

Nível de emprego na construção civil está longe do recorde de 2012

Economia | 24-02-2020 11:15

Desigual, recuperação do mercado imobiliário se concentra no Sudeste

Desigual, recuperação do mercado imobiliário se concentra no Sudeste

Economia | 24-02-2020 07:45

Bancos distribuem R$ 52 bilhões em dividendos a seus acionistas em 2019

Bancos distribuem R$ 52 bilhões em dividendos a seus acionistas em 2019

Economia | 22-02-2020 21:56

China: Número de infectados por coronavírus passa de 78,5 mil; são 2.460 mortos

China: Número de infectados por coronavírus passa de 78,5 mil; são 2.460 mortos