Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

CCJ suspende reunião após maratona de 14 horas de debates

13/07/17 às 02:05 - Escrito por Estadão Conteúdo
siga o Tarobá News no Google News!

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), suspendeu à 1h desta quinta-feira, 13, a reunião sobre a admissibilidade da denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva.

Os parlamentares se revezaram na sessão de debates, iniciada às 11h, se intercalando entre os que defendiam a admissibilidade da denúncia e os que se posicionaram contra.

"É razoável nesse instante suspendermos a reunião e daqui a pouco, às 9h, nós retomamos os trabalhos", disse Pacheco.

Leia mais:

Imagem de destaque
SAIBA MAIS

TSE rejeita recurso de Cloara Pinheiro; defesa diz que decisão não afeta mandato

Imagem de destaque
ACUSADO DE XENOFOBIA

Câmara de Apucarana descarta cassação de Vereador

Imagem de destaque
ENTENDA

STF anula mais uma condenação de Moro contra André Vargas na Lava Jato

Imagem de destaque
ENTENDA

Terminal Rodoviário é novo ponto de votação para as eleições de 2024

Da lista de 82 deputados a favor da admissibilidade da denúncia que se inscreveram para ter o direito à fala, restam mais de 30 nomes. O tempo de fala de cada deputado varia de 10 a 15 minutos.

Pacheco considerou a reunião "muito proveitosa e serena" e afirmou que a previsão é que a votação na CCJ ocorra ainda nesta quinta-feira. "Temos de chegar a um resultado justo cumprindo o regimento interno da Casa", comentou o deputado.

Um eventual afastamento de Temer do Palácio do Planalto depende de a Câmara dar aval para que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise a denúncia apresentada por Janot contra o presidente. Para Temer ser suspenso de suas funções, também é necessário que o STF decida receber a denúncia, conforme estabelecido na Constituição.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá