Linha 4

Publicidade

Edson Souza quer um “pacto pela saúde” entre governos municipal, estadual e federal

Redação Tarobá News

Flávio Ulsenheimer/Assessoria de Imprensa/CMC

Com um histórico acadêmico e profissional na área da gestão em saúde, o vereador Edson Souza, do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), escolheu essa área como foco principal de sua atuação parlamentar. Antes de se eleger para seu primeiro mandato na Câmara de Cascavel, ele desempenhou na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) os cargos de chefe de gabinete, diretor de obras e diretor administrativo do Hospital Universitário (HU).

Solteiro, 39 anos de idade, Edson é natural de Boa Vista da Aparecida e filho de pequenos agricultores. Ele mora no bairro Santos Dumont e, antes de se formar em Pedagogia, participou do movimento estudantil, tendo sido presidente da Associação Cascavelense dos Estudantes Secundaristas e presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Unioeste.

Experiência de campanha

“Foi uma campanha diferente, para mim e para quem participou, por causa da pandemia”, conta ele. Em virtude das medidas de distanciamento social, a busca ao voto foi mais baseada nas redes sociais e no círculo de amigos e conhecidos. “Ficou até bom, porque aí as ideias aparecem mais”, diz Edson. “Apostamos na nossa história para tentar atingir o número de votos suficientes”, completa ele, satisfeito por ter alcançado o objetivo.

Três frentes de atuação

Segundo o novo vereador, seu mandato possuirá três grandes frentes de atuação. O foco principal será na saúde. “É de onde eu venho, de onde saíram a maioria dos votos que recebemos, é o que a população mais precisa nesse momento e também é o assunto que eu mais entendo”. Sua atuação profissional na Unioeste tem sido toda na gestão de saúde pública.

“Não dá para pensar numa saúde pública de qualidade se você não pensar nas condições de trabalho e nos trabalhadores, nos servidores que produzem essa saúde pública”, declara Edson. Ele defende um “pacto pela saúde”, juntando todos os poderes e as esferas municipal, estadual e federal para resolver “gargalos” da saúde. O vereador aponta como um dos principais desses “gargalos” a organização das cirurgias eletivas.

As outras duas frentes, igualmente ligadas à sua experiência profissional, são as da assistência social e a gestão pública.

Papel do parlamentar

Edson diz acreditar que os poderes precisam ser fortes. “No Legislativo, minha tarefa e meu desafio é fazer com que ele funcione melhor: tenha independência, fiscalize o Executivo e atue mais junto da sociedade”, afirma. “Vereador tem que gostar de gente, por isso estaremos abertos para receber e ouvir as pessoas, tanto no gabinete como diretamente nas comunidades”. Seu mandato pretende organizar audiências públicas e dar atenção ao interior.

Assessoria de Imprensa/CMC


COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade