Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

'Faço parte de ala independente do PMDB', diz Zveiter após parecer contra Temer

10/07/17 às 19:35 - Escrito por Estadão Conteúdo
siga o Tarobá News no Google News!

O deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), relator da denúncia contra o presidente Michel Temer, minimizou qualquer tipo de retaliação que possa vir a sofrer de seu partido por ter apresentado um parecer favorável à admissibilidade do pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

"Se eles me expulsarem, vai ser problema deles e não meu", rebateu. "Eu faço parte de uma ala de um PMDB independente. Então, se fazer parte de um PMDB independente é querer um País melhor, eu me sinto digno de fazer parte disso", complementou.

Zveiter contou também que, após ler seu parecer, foi hostilizado por colegas do partido, como o vice-líder do governo na Câmara, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), e o deputado Mauro Pereira (PMDB-RS). Zveiter acusou Perondi de chamá-lo de "promotor" de forma irônica. "Eu falei para ele deixar de ser moleque", explicou o relator.

Leia mais:

Imagem de destaque
SAIBA MAIS

TSE rejeita recurso de Cloara Pinheiro; defesa diz que decisão não afeta mandato

Imagem de destaque
ACUSADO DE XENOFOBIA

Câmara de Apucarana descarta cassação de Vereador

Imagem de destaque
ENTENDA

STF anula mais uma condenação de Moro contra André Vargas na Lava Jato

Imagem de destaque
ENTENDA

Terminal Rodoviário é novo ponto de votação para as eleições de 2024

O voto de Zveiter em si não foi uma surpresa para os governistas, mas a contundência com que se manifestou trouxe euforia à oposição e preocupação para a base aliada. "Foi um dia triste para o Estado de Direito", lamentou Carlos Marun (PMDB-MS), vice-líder da bancada peemedebista.

O vice-líder do governo na Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), disse que Zveiter "rasgou" o diploma e concluiu que o voto foi "muito fraco". Mansur acusou a oposição de usar uma denúncia sem comprovação de fatos para fazer disputa política e partir para o revanchismo. "A oposição quer dar o troco no impeachment da presidente Dilma Rousseff", afirmou.

A base aliada conta com a produção de um voto em separado contra a denúncia para ser aprovado como substitutivo e ser levado ao plenário. Ao trocar 13 membros da comissão (sendo oito titulares), os aliados afirmam que terão 39 ou 40 votos contra a denúncia. E, se forem detectados potenciais votos contrários, as trocas continuarão.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá