Operação investiga fraude na contratação de empresas pelo governo de Angola

Estadão Conteúdo
Política | Publicado em 14/06/2017 às 14:00

Foto: Divulgação

A Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público Federal e em cooperação internacional com autoridades da França, deflagrou a Operação Le Coq nesta quarta-feira, 14, para cumprir 12 mandados de busca e apreensão no Rio. A investigação apura a utilização de intermediários em contratos entre o governo de Angola e empresas estrangeiras mediante pagamento de vultosas comissões.

Em nota, a Polícia Federal informou que os investigados cobravam porcentual de até 35% "para a obtenção dos contratos que seriam firmados com a administração do país africano, corrompendo agentes públicos".

Sessenta policiais federais cumprem as ordens expedidas pela 9ª Vara Federal do Rio de Janeiro em imóveis residenciais e comerciais na Barra da Tijuca e no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da capital fluminense.

O grupo é acusado de corrupção de agente público estrangeiro, falsificação de documentos públicos e outros crimes.

O nome da operação faz referência ao símbolo da França, o galo.



Relacionados

Política | 24-05-2018 15:40

Tribunal de Portugal arquiva extradição de Raul Schmidt

Tribunal de Portugal arquiva extradição de Raul Schmidt

Política | 24-05-2018 15:30

MDB deverá receber R$ 234,2 milhões do Fundo Eleitoral; PT, R$ 212,2 mi

MDB deverá receber R$ 234,2 milhões do Fundo Eleitoral; PT, R$ 212,2 mi

Política | 24-05-2018 13:55

Gilmar Mendes estica por dois meses investigação contra Aécio e Anastasia

Gilmar Mendes estica por dois meses investigação contra Aécio e Anastasia

Política | 24-05-2018 11:27

Hauly diz que não é a favor e nem contra greve dos caminhoneiros

Hauly diz que não é a favor e nem contra greve dos caminhoneiros

PUBLICIDADE