STJ mantém Ricardo Coutinho em liberdade, mas com restrições

Estadão Conteúdo
Política | Publicado em 18/02/2020 às 17:45

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça manteve em liberdade o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, acusado de liderar uma suposta organização criminosa que desviou R$ 134,2 milhões em contratos do Estado. Ele chegou a ser preso em dezembro, na Operação Calvário, que mira supostos esquemas na saúde. No dia seguinte à detenção, foi solto pelo ministro Napoleão Nunes Maia, do STJ.

Por maioria (4×1), os ministros concluíram que o decreto de prisão, do final do ano passado, não demonstra, de maneira categórica, de que forma Coutinho, atualmente, agiria no esquema criminoso, tendo em vista que não exerce mais o cargo público de governador do estado da Paraíba.

A Corte decidiu que, em substituição às prisões preventivas, o ex-governador terá de comparecer periodicamente em juízo; e deve se afastar de atividade econômica que tenha relação com os fatos apurados (medida voltada para os empresários investigados na operação). A ele, também foi imposta a proibição de manter contato com os demais investigados (com exceção, no caso de Ricardo Coutinho, de seu irmão Coriolano Coutinho) e a proibição de ausentar-se da comarca domiciliar sem autorização do juízo'.

No julgamento, a Sexta Turma concedeu, também, habeas corpus aos réus que estão em situação idêntica: Cláudia Luciana de Sousa Mascena Veras (HC 554036); Francisco das Chagas Ferreira (HC 554374); David Clemente Monteiro Correia (HC 554392); e Márcia de Figueiredo Lucena Lira (HC 554954).



Relacionados

Política | 30-03-2020 12:10

Vice 'bombeiro' ganha apoio de militares

Vice 'bombeiro' ganha apoio de militares

Política | 30-03-2020 11:06

Partidos estudam acionar Bolsonaro na Justiça por passeio em meio à pandemia

Partidos estudam acionar Bolsonaro na Justiça por passeio em meio à pandemia

Política | 30-03-2020 10:50

'Brasil é diferente', diz Bolsonaro ao evitar comentar isolamento nos EUA

'Brasil é diferente', diz Bolsonaro ao evitar comentar isolamento nos EUA

Política | 30-03-2020 10:40

Bolsonaro repete que pensa em fazer decreto sobre atividades essenciais

Bolsonaro repete que pensa em fazer decreto sobre atividades essenciais

PUBLICIDADE